MetrôRio - Foto: Reprodução/Internet

A Secretaria Estadual de Transportes do Rio de Janeiro foi notificada pela Agência Reguladora de Serviços Públicos de Transportes (Agetransp) acerca do aumento de passageiros no MetrôRio. De acordo com levantamento da fiscalização, o teto máximo determinado de 60% de ocupação enquanto durar a pandemia do Coronavírus está quase sendo ultrapassado nos horários de pico.

Segundo a Agentransp, a situação mais grave é a da Linha 2 (Pavuna-Botafogo). Este trecho recebeu, em média, no período entre 01 e 18 de outubro, no horário das 07h às 08h, mais de 13 mil passageiros. Vale ressaltar que a capacidade máxima é de 22 mil pessoas por hora.

Ainda de acordo com a Agetransp, o metrô está operando com o menor intervalo possível, nos horários de pico, que é de 4 minutos e 30 segundos.

O levantamento aponta que os horários mais factíveis a ultrapassar 60% de ocupação, estabelecido em decreto pelo Governo do RJ, são na parte manhã, das 06h às 10h, principalmente na Linha 2.

Passageiro frequente do MetrôRio, José Luiz Nascimento diz que no início da pandemia os trens da Linha 2 do estavam significativamente mais vazios.

”No começo estava mais vazio. Agora, está enchendo mais, tem mais gente, agora não tem mais lugar para sentar. Eu mesmo vou em pé todo dia. E quando chega em Coelho Neto, enche mais”, disse o passageiro, que costuma embarcar no metrô na Pavuna.

Nos demais horários, de acordo com o estudo, há disponibilidade de vagas nos trens do metrô.

Ainda segundo a Agetransp, em média, nos dias úteis, o MetrôRio transportou, entre 01 de 18 de outubro, 380 mil passageiros por dia.

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui