Foto: Divulgação/Imperator

O Centro Cultural João Nogueira, mais conhecido como Imperator, localizado no Méier, Zona Norte do Rio de Janeiro, a partir de janeiro de 2020 será administrado pela Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa (Secec-RJ), coordenada por Ruan Lira.



Siga nossas redes e assine nossa newsletter, de graça

Jornalismo sério, voltado ao Rio de Janeiro. Com sua redação e colunistas, o DIÁRIO DO RIO trabalha para sempre levar o melhor conteúdo para os leitores do site, espectadores dos nossos programas audiovisuais e ouvintes dos nossos podcasts. O jornal 100% carioca faz a diferença.

Até então, o Imperator é administrado pela Secretaria Municipal de Cultura (SMC), pertencente à Prefeitura do Rio.

De acordo com informações apuradas, o Imperator está ‘indo bem’ e acaba de chegar à marca de 6 milhões de visitantes em 7 anos.

Interior do Imperator – Foto: Divulgação

Reinaugurado como centro cultural em junho de 2012 após 10 anos fechado, o Imperator já recebeu, de lá para cá, nomes importantes da música brasileira e internacional, como Ana Carolina, Gilberto Gil, Os Paralamas do Sucesso, Stevie Wonder, Tame Impala, entre outros.

Além disso, espetáculos teatrais com artistas renomados como Fernanda Montenegro, Maitê Proença e Marco Nanini.

O que causa ‘estranheza’ é o fato do Governo do Estado assumir mais uma atribuição que seria da Prefeitura. Anteriormente, responsabilizou-se pelo Controle Urbano e pelo Sambódromo, mas este último retornou à gestão de Marcelo Crivella nesta quinta-feira (26/09).

O DIÁRIO DO RIO tentou contactar tanto a Secretaria Estadual de Cultura quanto a Municipal para averiguar o assunto. Enquanto a primeira não atendeu as ligações e o e-mail disponibilizado em sua página oficial no Facebook está inativo, a segunda solicitou que o contato fosse realizado por e-mail, mas, até o fechamento desta matéria, não havia respondido.

Atualização: Nesta sexta-feira (27/09), a Secretaria Municipal de Cultura, através de sua assessoria, se pronunciou sobre o assunto.

”A Prefeitura do Rio cumpriu seu papel na gestão do Imperator. Recuperou o equipamento, deu uso, formou plateia com programação de excelência durante sete anos de funcionamento. O contrato de cessão vence em 2020 e, tecnicamente, não há como lançar edital a um período superior ao vencimento do contrato. A Secretaria de Estado, dona do prédio, pediu para retomar a gestão e dará continuidade ao ótimo trabalho que vem sendo realizado pela Prefeitura.”

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui