Edmar Santos, secretário de Saúde do Rio de Janeiro, foi exonerado do cargo na manhã deste domingo, 17/05.

A decisão do governador Wilson Witzel foi motivada por conta do desgaste provocado por denúncias de fraudes na licitação para a compra de respiradores.

Na quinta-feira (14/05), o governador usou sua rede social para se manifestar sobre as denúncias de irregularidades na pasta.

“Apoio as investigações que estão sendo realizadas pelos órgãos de controle e que estão identificando irregularidades. É inadmissível que pessoas queiram cometer ilícitos, principalmente neste momento de pandemia e de luta pela vida de milhões de pessoas”, disse Witzel.

O grupo é suspeito de ter obtido vantagens na compra emergencial de respiradores para pacientes de Covid-19 no estado.

Na sua decisão, o juiz Bruno Ruliére, da Vara Criminal Especializada da Capital, diz que Gabriell e Gustavo atuaram, de acordo com as investigações, nos processos administrativos suspeitos.

Mais gente deve sair

Por conta das informações levantadas pela Operação Favorito, que resultou na prisão do poderoso empresário Mário Peixoto, e investiga fraudes na licitação para a compra de respiradores, Lucas Tristão, secretário de Desenvolvimento Econômico, também deve deixar o governo Witzel.

Quem também está cotado para deixar o governo é Leonardo Rodrigues, secretário de Ciência e Tecnologia.

Além dos dois, Pedro Fernandes, da Secretaria de Educação, também pode deixar o governo Witzel nos próximos dias.



Siga nossas redes e assine nossa newsletter, de graça

Jornalismo sério, voltado ao Rio de Janeiro. Com sua redação e colunistas, o DIÁRIO DO RIO trabalha para sempre levar o melhor conteúdo para os leitores do site, espectadores dos nossos programas audiovisuais e ouvintes dos nossos podcasts. O jornal 100% carioca faz a diferença.

5 COMENTÁRIOS

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui