Carlos Alberto Chaves | Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Na manhã desta quinta-feira (04/03), o Secretário de Estado de Saúde no Rio de Janeiro, Carlos Alberto Chaves, em entrevista ao Bom Dia Rio, na TV Globo, descartou a possibilidade de novas medidas restritivas serem adotadas pelo governo estadual e afirmou que o governo já adota medidas combate ao coronavírus.

O secretário disse que existe um alarmismo diante da covid-19 e comparou um possível toque de recolher às ações da ditadura militar. Questionado sobre a necessidade do governo adotar ações preventivas, o secretário respondeu que as medidas estão sendo realizadas. Ele defendeu que a melhor solução é intensificar a distribuição de vacinas, e que a ocupação de leitos no estado não justifica a necessidade de maiores contenções até o momento.

A prevenção é importante e estamos tranquilamente fazendo isso. A prevenção é a pesquisa, os exames de saúde, o monitoramento dos leitos, junto com a presença da saúde dos municípios. Qual a solução para isso tudo? É a vacina, 70% da população, nós ficamos tranquilos” afirmou o secretário.

Chaves ainda criticou especialistas que têm defendido o aumento nas restrições no estado: “Eu tenho que pensar que muitos desses pesquisadores nunca botou (sic) a mão em um doente, nunca viu um doente na frente. É muito fácil falar dentro de um ar condicionado. Estamos fazendo a prevenção sim!“, disse o secretário.

A partir desta sexta-feira (05/03), a prefeitura do Rio adota novas medidas restritivas para conter o avanço da Covid-19. Bares e restaurantes terão ‘toque de recolher’ e não podem funcionar após às 17 horas, boates, quiosques e feiras não poderão funcionar e ambulantes não vão poder trabalhar nas praias da capital. A medida vai até o dia 11 de março.

1 COMENTÁRIO

  1. Alarmismo?? Quase 1.500 mortos em um único dia e mais de 260 mil no total até agora é alarmismo?? Onde esses caras tão?? Em Nárnia?? Só pode, é a única explicação!!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui