Reprodução: Internet

Investigações realizadas pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, que serviram de base para o Tribunal de Justiça do Rio, revelaram não haver indício de que o Presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), André Ceciliano (PT), tenha envolvimento com movimentação financeira suspeita de R$ 49 milhões por parte de ex-funcionários do seu gabinete.

O TJ-RJ enviou o caso para 1ª instância de Paracambi, na Região Metropolitana do Rio, o que significa que o objeto da investigação, agora, é o empresário da construção Civil, Carlos Dolavale, que trabalhou no gabinete de Ceciliano.

A promotoria descartou a prática de “rachadinha” por Ceciliano, passando posteriormente a considerar que a movimentação financeira resultasse de uma suposta dívida contraída pelo petista junto ao empresário.

Segundo o TJ-RJ, Dolavale passou a ser o alvo das investigações por conta das discrepâncias entre a sua renda e de familiares, e a sua movimentação financeira. Ainda segundo o Tribunal, registros policiais indicam que o empresário atuaria como agiota.

2 COMENTÁRIOS

    • bem isso amigo, isso ai é uma piada, empresário que movimentou dentro do gabinete e o chefe não sabia de nada!? kkk tá parecendo o lula não viu nada, nunca soube de nada, suspeito, o empresário assumiu a culpa pra limpar a barra do deputado… MP do rio no mínimo suspeito.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui