Foto: Reprodução Internet

O programa Segurança Presente tem um novo cronograma de expansão para o estado do Rio. Os municípios de Nova Iguaçu e Caxias, na Baixada Fluminense, e os bairros de Laranjeiras, Barra da Tijuca, Botafogo, Austin, Miguel Couto, Vila Isabel e Bangu, em Nova Iguaçu, e nas zonas, Sul, Norte e Oeste do Rio, são os próximos a receber o reforço na segurança.

Outra novidade para a nova fase de ampliação do programa, que já noticiamos no Diário Do Rio, é a implementação de um monitoramento via satélite para fiscalizar tanto as equipes do programa como as das operações Lei Seca e Barreira Fiscal.

As operações serão em turnos de 12 horas. O programa contrata policiais militares em dias de folga, a partir de inscrições facultativas.

O Aterro do Flamengo, Lagoa Rodrigo de Freitas, Leblon, Ipanema, Tijuca, Méier, Centro e Lapa já têm patrulhamento de agentes realizado a pé, em bicicletas, motos e viaturas.

Podem haver mudanças nos dias, mas o governo estadual já confirmou a expansão nos nove locais.

Confira as datas de início do programa
1º de agosto – Nova Iguaçu
12 de agosto – Laranjeiras
26 de agosto – Caxias
2 de setembro – Barra da Tijuca
10 de setembro – Botafogo
23 de setembro – Austin (Nova Iguaçu)
7 de outubro – Bangu
15 de outubro – Miguel Couto (Nova Iguaçu)
30 de outubro – Vila Isabel

3 COMENTÁRIOS

  1. Eu acho esse projeto pouco inclusivo, policial militar de folga? Eles já ganham para trabalhar, já viram a quantidade de vigilante que tem desempregado e poderia ser muito bem aproveitado nesse programa?
    e os trabalhadores?

  2. Será uma nova oportunidade de organização em alternativa às milícias?
    – Mas tudo leva a crer que ficaremos reféns do projeto para a segurança em áreas nobres para o comércio em determinadas regiões.
    Sem contar que não resolve o problema da segurança. Pois tem horário de início e fim, como no Aterro, que fica entre à bandidagem depois das 22h (e das 19h domingos e feriados).
    O patrulhamento feito segundo o interesse privado (Projeto Presente) de comerciantes por um lado e aquele hoje sepultado de patrulhamento das áreas conflituosas (Projeto UPPs), não são solução para a Segurança Pública.

    Com as UPPs retiraram o contingente original dos bairros, levados para as comunidades, fazendo, inicialmente, explodir os crimes contra o patrimônio e pessoas naqueles enquanto as comunidades experimentavam um período de aparente tranquilidade, depois quebrada, coincidentemente, no período que se agitavam as elites, para reverter a condução do país, que resultou em frangalhos para economia a partir de 2015 e no golpe de 2016.

  3. É a Ilha do Governador?
    Mesmo tendo o maior sítio aeroportuário da América do Sul, e sendo o segundo aeródromo mais movimentado do Brasil. E o Governador enfatizando tanto a necessidade de apoio ao Turismo. Como forma de recuperar a economia do Estado. Não consideram prioritário, reforçar o patrulhamento preventivo nos acessos ao Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro- Antonio Carlos Jobim???

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui