Foto: Divulgação

A Secretaria de Infraestrutura e Obras (Seinfra) firmou convênio com o programa de pós-graduação em Urbanismo da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (PROURB-FAU/UFRJ). O objetivo é incentivar a cooperação técnica e científica, auxiliando os profissionais da Seinfra na elaboração de projetos de obras públicas. O protocolo de intenções foi publicado na edição da última quarta-feira (07/10) do Diário Oficial.

Na prática, alunos de mestrado em Urbanismo irão auxiliar projetos da Seinfra com análises e sugestões de intervenções urbanas em cidades do estado do Rio. O primeiro trabalho já está em desenvolvimento. Trata-se do projeto de revitalização das ruínas e da orla da Praia do Saco, em Mangaratiba. As intervenções fazem parte do programa Cidade Viva, que prevê uma série de obras de urbanização em áreas habitacionais de baixa renda.

Esse acordo não terá custos para o Estado e vai possibilitar uma melhor qualificação dos nosso projetos, uma vez que teremos o apoio de um grande centro de excelência em urbanismo do país. Agradeço o empenho do subsecretário de Urbanização, Luis Claudio Bentes, por ter feito essa intermediação”, afirmou o secretário de Infraestrutura e Obras, Bruno Kazuhiro.

Professora titular do PROURB-FAU/UFRJ, Lucia Maria Costa explica que os alunos de mestrado desenvolvem pesquisas com temas diversos como sustentabilidade e mobilidade urbana, voltados para cidades de diferentes escalas. Com o convênio, será possível fazer a transferência desse conhecimento da universidade para a sociedade. Outra vantagem para os alunos é o benefício da experiência prática.

Somos uma universidade custeada com dinheiro público. Nada mais justo do que retornarmos nossos conhecimentos para a população”, explicou a professora.

1 COMENTÁRIO

  1. Aí uma excelente notícia! Sou grato à UFRJ pela brilhante iniciativa! Na segunda-feira (05/10), estive no local das ruínas do antigo Povoado do Saco e gravei um vídeo comentando sobre a importância de Mangaratiba aprender a aproveitar o seu grande potencial turístico, o qual a cidade tem desperdiçado por não saber até agora como trabalhar melhor esse incrível patrimônio histórico. Como havia compartilhado de cinco dias atrás no Facebook, uma área dessas deveria se tornar um centro cultural e ter uma praça ali ao lado com algum comércio a fim de incentivar a convivência e a permanência dos visitantes no lugar considerando que a RJ-149, nesse trecho, é um corredor onde os veículos trafegam sem nem sempre os condutores terem um local de parada onde possam deixar o carro para apreciar o ambiente. Mais uma vez agradeço às universidades públicas pois, sem elas, não sei o que seria do nosso país. Bendita balbúrdia!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui