Foto ilustrativa com frascos e seringa na frente de logotipo da farmacêutica Pfizer — Foto: Dado Ruvic/Reuters

Com a escassez de doses da AstraZeneca para aplicação da segunda dose, a Prefeitura do Rio começou, nesta segunda-feira (13/09), a oferecer a Pfizer para o público carioca . A mistura de vacinas está disponível para quem chegar em uma unidade de saúde do município e se deparar com a falta do medicamento de Oxford.

Conforme planejado, está sendo ofertada a intercambialidade com vacina heteróloga (D2 da Pfizer), conforme disponibilidade”, justificou a Secretaria Municipal de Saúde, em nota. 

Responsável pela produção da AstraZeneca no Brasil, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) garantiu que novos lotes da vacina devem ser produzidos nos próximos dias. A entrega de vacinas foi paralisada porque os lotes mensais de agosto do ingrediente farmacêutico ativo (IFA), importado para a fabricação da vacina, só chegaram nos dias 25 e 30 do mês passado.

Aqueles pacientes que não quiserem trocar a segunda dose da AstraZeneca pela Pfizer, terão, muito possivelmente, uma fila de espera por unidade de saúde, conforme cogita implementar a Prefeitura. A expectativa é que essas pessoas sejam acionadas assim que um novo lote do imunizante seja entregue ao município.

A SMS afirmou ainda que aguarda a confirmação de envio de novas doses pelo Ministério da Saúde. 

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui