Na tentativa de impedir o avanço do processo de impeachment na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), o governador do Rio, Wilson Witzel, vai procurar na próxima semana o presidente da Casa, André Ceciliano (PT). A informação foi publicada no blog da jornalista Andreia Sadi.

De acordo com a repórter, Witzel alega que não pode ser julgado politicamente antes de um desfecho na Justiça em função das acusações de desvios na área da Saúde, durante a pandemia do coronavírus.

Ao longo das últimas duas semanas, o governador procurou algumas vezes Siciliano, mas não conseguiu marcar um encontro com o presidente da Alerj.

O chefe do estado sofreu uma derrota categórica na Alerj: por unanimidade, a Casa abriu o processo de impeachment contra o governador nesta semana.

Na avaliação de fontes aliadas ao governador, se não houver novas operações policiais, como a que fez buscas na sua residência oficial, o governador acredita ter mais chances de sobreviver ao processo de impeachment.

O problema, argumentam, é que o governador desmontou a base aliada que foi formada na Alerj pela articulação do ex-secretário Andre Moura, demitido por Witzel no final de maio.

Sem base, Witzel tenta agora se aproximar de parlamentares e diz que apresentará uma defesa técnica. Deputados da Alerj afirmam que o governo acena com cargos, mas fontes do governo Witzel afirmam que os partidos na Alerj já ocupam cargos no governo.



Toda manhã o resumo do Rio de Janeiro

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui