Sergio-Cabral-Dilma-Rousseff-e-Eduardo-PaesA política brasileira é decepcionante e a última do governador Sergio Cabral (PMDB) e prefeito Eduardo Paes (PMDB) só faz valer a frase do Barão de Itararé, “De onde menos se espera, daí é que não sai nada”. A última foi a decisão de Paes, Cabral e do vice-governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) de não apoiar Dilma Rousseff se o PT insistir em lançar a candidatura do senador Lindbergh Farias (PT) a governador em 2014 e não apoiar Pezão.

Não vejo problemas em deixar de apoiar Dilma, meu candidato hoje seria Aécio Neves (PSDB), que afinal é carioca de coração, inclusive amigo de Cabral, de quem tem uma pequena proximidade familiar, de Paes e sobrinho do senador Dornelles (PP). Mas o mote da campanha tanto de Cabral quanto do Eduardo Paes era a união entre os 3 poderes, que era melhor para o Rio de Janeiro, e estas coisas. Nunca achei que precisa ser submisso às outras esferas para fazer um bom governo mas era isso que eles acreditavam, ou melhor, esse era o argumento usado.

Agora ameaçam ir contra esta união para se perpetuar no poder? Quer dizer que caso ganhe outro candidato sem ser Pezão, Eduardo Paes deixará de conversar com o governador? Que as Olimpíadas então podem ser um fracasso por politicagem?

Acho que não mas é essa a impressão que passa o governador e o prefeito.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui