Private Urca Veio em boa hora uma matéria do Fantástico sobre o brasileiro aceitar bem construções em locais que prejudicam o meio-ambiente. O Instituto Akatu fez uma campanha fantasma em que se venderia apartamento em prédios em vários pontos turísticos onde se prejudicaria o meio-ambiente, além de desrespeitar a lei.

 

Eles fizeram a pesquisa em vários lugares do Brasil mas o que importa é o Rio de Janeiro. Se por um lado no Rio foi onde teve a maior rejeição, 39 gostariam de morar em um apartamento sobre o Pão de Açúcar sobre a Baía da Guanabara mas também foi onde houve o maior exagero. Duas torres no Pão de Açúcar?

Mas não é preciso campanha fantasma para isso no Rio? A Eletrobrás quer subir um prédio ao lado dos Arcos da Lapa, e como se pode ver neste post há muitos a favor. E sobre estar a venda uma área verde de 406 mil m2 na Praia da Reserva (Marapendi) para a construção de um resort com 1000 apartamentos? Está a R$ 350 milhões… ou a permissão para a construção de resorts na Restinga da Marambaia e na Praia de Grumari? Sem contar que vão demolir um quarteirão inteiro no centro para a construção de espigão.

 

Se usa a desculpa do progresso, que o Rio precisa deste tipo de empreendimento, que as empresas iriam embora. Besteira, as empresas não saem porque não tem um prédio do lado do Arcos da Lapa ou na areia do Grumaria, saem por outros motivos.

 

Precisamos ficar de olho na especulação imobiliária predatória. Precisamos de progresso mas que seja ordenado.

 

Fiquem com as matérias do Fantástico:

 

 

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui