O ex-prefeito do Rio Roberto Saturnino Braga é o entrevistado da série “Depoimentos Cariocas” nesta terça-feira (10/08), às 17h, quando o vídeo estreia no YouTube do Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro, que é responsável pela produção. Às vésperas de completar 90 anos (no próximo dia 13 de setembro), o político foi entrevistado pela presidente do Arquivo Geral, Rosa Maria Araujo, a quem falou sobre temas como os desafios que enfrentou em seu mandato como prefeito da cidade (o primeiro eleito diretamente, após a redemocratização), entre 1986 e 1988, quando grandes dificuldades financeiras o levaram a declarar a falência do município.

A abertura do episódio é feita pelo prefeito do Rio, Eduardo Paes, dizendo-se “especialmente satisfeito” com a oportunidade de convidar os espectadores a assistirem à entrevista com Saturnino: “Sua história nos ajuda a compreender como a democracia é uma conquista fundamental pro país e como devemos sempre lutar por sua preservação.”, diz. O depoimento teve ainda as participações especiais do jornalista Ancelmo Gois e do advogado e ex-deputado federal Vivaldo Barbosa, que contribuíram enviando perguntas para o ex-prefeito.

Na entrevista, realizada remotamente devido à pandemia de Covid-19, Saturnino Braga destacou passagens de sua trajetória, como os momentos iniciais de sua carreira política (seguindo os passos de seu pai, o ex-deputado federal Francisco Saturnino Braga) e a relação com o ex-governador Leonel Brizola. Outros temas abordados na conversa foram a infância em Copacabana, a paixão pelo canto (que chegou a estudar na juventude) e os anos de aluno da Faculdade de Engenharia da antiga escola politécnica da Universidade do Brasil (atual UFRJ).

Entre os destaques da entrevista estão as memórias do veterano político sobre como acompanhou – pelo rádio – os combates da Segunda Guerra Mundial (1939-1945) e seu jingle da campanha para prefeito em 1985, cantado duas vezes no vídeo: a primeira pelo prefeito Eduardo Paes, na abertura, e a segunda pelo próprio Saturnino, numa canja especial que encerra sua participação nos “Depoimentos Cariocas”.

Saturnino Braga é o quarto entrevistado da série, criada pelo Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro, órgão que integra aSecretaria de Governo e Integridade (SEGOVI) da Prefeitura do Rio, para registrar e difundir as memórias e reflexões de pessoas que já tiveram a cidade como objeto de inspiração no trabalho. Antes dele passaram pelos “Depoimentos Cariocas” o jornalista e escritor Zuenir Ventura, o antropólogo Roberto DaMatta e o compositor e escritor Nei Lopes. Após a entrevista com o ex-prefeito, a série continua em setembro com a participação da professora Terezinha Saraiva, 96 anos, ex-secretária nas pastas da educação e cultura nas esferas estadual e municipal.

9 COMENTÁRIOS

  1. Esse saturnino foi o pior prefeito da historia do Rio, faliu a cidade e nada fez…só um foi pior que ele: o Crivella. Entrevista desnecessária, apologia a um fracassado

  2. UM HOMEM SÉRIO E HONRADO , POR LEALDADE
    TOMOU PRA SUA RESPONSABILIDADE OS PROBLEMAS QUE JÁ VINHAM SE ACUMULANDO. DE UMA DIGNIDADE RARA ,
    SENSIBILIDADE INCRÍVEL.

  3. Está notícia é revoltante!

    O Saturnino Braga faliu e decretou a falência da cidade do Rio de Janeiro.

    Depois de mais de 30 anos vira SANTO!

    A administração dele foi péssima e quem salvou a cidade da falência foi o ladrão do Marcelo Alencar.( O senhor Carlos Crispiniano está certo)

    Este Saturnino Braga era para ser esquecido e não lembrado.

    • Me desculpe o nome do leitor é Carlos Crispim

      A revolta é muito grande com há homenagem de um cidadão que faliu com a cidade do Rio de Janeiro.

  4. Eu me lembro dele, faliu a prefeitura do Rio, como todo bom elemento de esquerda que não sabe administrar nem um birosca de doces, não entendem nada de economia, administração e finanças, só sabem gastar e contratar pessoas, parentes e amigos para não fazerem absolutamente nada, inchou a prefeitura de mentecaptos vagabundos, só gente desqualificada e despreparada para exercer qualquer função pública, resultado: só fizeram besteira e faliram a prefeitura, correndo o risco de deixar milhares de funcionários sem receber e a cidade totalmente largada e abandonada. Esse foi o legado deixado para o Marcelo Alencar, que salvou a prefeitura consertando todas as burrices feitas pelo comunismo.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui