Terminal Padre HenriqueDurante audiência pública da CPI do Ônibus, da qual passei a ser membro na  semana retrasada, após a desistência de quatro vereadores do PT e quatro do PSOL, apresentei relatório, elaborado pelo meu gabinete itinerante, sobre a situação dos terminais rodoviários da cidade, cuja responsabilidade pela gestão e manutenção cabe às empresas concessionárias de serviços públicos de ônibus. As conclusões do levantamento foram encaminhadas ao secretário municipal de Transportes e serão enviadas à Rio Ônibus. Na reunião anterior da CPI, já havia solicitado à concessionária o cronograma das obras dos 27 terminais rodoviários da cidade. Para visualizar, clique aqui.

Tenho trabalhado pela melhoria do sistema de transportes da cidade, antes da criação da  CPI. Apresentei vários projetos ligados à mobilidade urbana e outros cujo objetivo é ampliar a  participação popular no legislativo. São eles:

  • Implantação de Sistema de GPS aberto para a população (totens, celulares, tablets e internet)
  • Criação do Comitê de Gestão Compartilhada do Transporte Metropolitano
  • Implantação de Indicadores de Mobilidade Urbana para o Rio
  • Inclusão de Assinatura Eletrônica em Projetos de Iniciativa Popular
  • Criação do Código Municipal de  Defesa dos Usuários dos Serviços Públicos
29 anos, advogado, é o mais jovem eleito para a Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro, na qual é membro da Comissão Permanente de Justiça e Redação. Presidiu a Atlética de Direito, o Centro Acadêmico de Direito e o Diretório Central dos Estudantes (DCE) da PUC. Foi um dos criadores do Movimento Ficha Limpa e, atualmente, preside a Juventude Progressista. É pós-graduado em Direito Fiscal pela PUC-Rio e cursa pós-graduação em Administração Pública na FGV e Gerência e Gestão de Projetos na UFRJ.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui