Sonhando Acordado – Uruguai: Entre pores-do-sol e madrugadas agitadas, chegamos em Punta del Este!

Nossa dupla de viajantes segue descobrindo as maravilhas do nosso vizinho Uruguai

Conforme contamos em nossa última coluna, fomos expulsos pela polícia no meio da madrugada de La Pedrera (se você perdeu, corre lá para conferir!), o que nos fez chegar na calada da noite na vizinha La Paloma. Para nossa sorte, a cidade ficava a 10km de distância.

Quando acordamos conseguimos perceber o tamanho do estacionamento e a quantidade de motorhomes que havia. Tinha para todos os gostos: kombi, van, trailer, ônibus. Localizado ao lado da praia Bahia Grande, na zona portuária, aproveitamos a manhã de sol para fazer uma caminhada pelo Puerto de La Paloma. Ali também descobrimos um local para limparmos nosso porta potti antes de sairmos para passear um pouco.

Fizemos um giro completo pelos principais pontos da cidade: passamos pelo bosque Andresito Park; Av. Nicolás Solari; Plaza España, onde fica o letreiro La Paloma; Faro Del Cabo de Santa Maria e ainda conseguimos curtir a Playa La Balconada, com direito a mais um belíssimo pôr do sol. Estamos impactados não só com a beleza de cada pôr do sol, mas pelo fato dele ser cada vez mais tarde e acompanhado com prazer pelos uruguaios. Muitos chegam com suas cadeiras e mates a tiracolo exclusivamente para contemplar esse momento.

Embora super acomodados em uma rua próxima da praia, voltamos para o estacionamento de motorhomes para dormir, não queríamos ser surpreendidos pela polícia novamente.

Acordamos cedo e pé na estrada, o destino do dia era José Ignacio, a 87km.

Antes, porém, uma parada obrigatória: a ponte redonda na Laguna Garzón. Isso aí mesmo, redonda! Ela foi desenvolvida nesse formato para que as pessoas possam curtir o belíssimo visual. Nada de simplesmente entrar em uma ponte para cruzar mais um rio e sair. A paisagem merece algo mais. Se estiver com tempo, recomendamos inclusive verificar a disponibilidade das hospedagens próximas ou, pelo menos, aproveitar o dia por lá, seja na própria lagoa ou bem do ladinho na praia.

DCIM\100MEDIA\DJI_0398.JPG

Continuamos em frente para José Ignacio, vilarejo de pescadores que, segundo os próprios uruguaios foi comprado pelos endinheirados do país e argentinos.

A cidadezinha é um charme, com vários restaurantes super convidativos e mais um farol incrível. Na realidade, achamos que o Faro de José Ignacio é o mais bonito que vimos até agora. 

Encostamos nas proximidades da Playa Brava para o almoço. Enquanto a Dani preparava a refeição, o Livio conseguiu dar um mergulho. Foi a sorte, porque enquanto almoçávamos caiu uma bela pancada de chuva de verão e o tempo nublou. Ainda assim passeamos de carro pela Playa Vik José Ignacio e Playa Mansa.

Apesar de termos encontrado alguns bons pontos para pernoitar, inclusive com vista mar, agora estávamos mais ariscos e não queríamos passar por qualquer inconveniente no meio da madrugada de novo. No caminho encontramos uma viatura da polícia e paramos para perguntar onde poderíamos ficar. Solícitos, os policiais nos deram a péssima notícia de que não havia nenhum local na cidade, simplesmente não era permitido motorhome.

Arrasados com a notícia, tínhamos realmente achado um ponto ótimo, e cientes de que o espaço público não deveria ser tratado dessa maneira (advogados que só, né?!), seguimos a contragosto para La Barra. Não queríamos confusão ou estar onde não éramos bem-vindos.

Porém, a sorte estava do nosso lado e conseguimos um lugar incrível para passar a noite: do ladinho da ponde ondulada, onde tem um braço do rio Maldonado que as pessoas vão pescar e, adivinhem só, apreciar o pôr do sol! O que não tínhamos ideia era da quantidade de mosquitos daquele lugar, nos descuidamos por alguns minutos com as janelas abertas e entraram centenas deles. Passamos quase uma hora em ritmo de caça! Risos.

Quem acreditou que o único problema em uma madrugada no Uruguai seria a polícia batendo na sua porta errou! Pegamos um vendaval alucinante, acordamos com a casa balançando para um lado e para o outro, quase um barco em alto mar. Em que pese, racionalmente falando, seja quase impossível um vento capaz de virar quatro toneladas, nosso inconsciente não estava nem um pouco preocupado com física ou algo do tipo. Estávamos angustiados e apavorados com a casa sacudindo e não conseguimos mais dormir.

Depois de uma noite tensa por conta do vendaval, levantar cedo não foi o problema. Tomamos café da manhã e seguimos para Punta del Este, cuja estrada beira mar impressiona pelas inúmeras casas e prédios de luxo. Os amantes de arquitetura não podem perder de jeito nenhum.

Começamos nosso dia na praia Brava para tirar aquela clássica foto na escultura Los Dedos, popularmente conhecida como La Mano. Mundialmente famosa, a obra de arte estava vazia em virtude do horário. 

Em seguida, conseguimos uma vaga para nossa casa na Plaza de los Artesanos, bem na frente da casa de informações turísticas. Com o mapa em mãos (sim, o Livio segue amando os mapas de papel) partimos para fazer o circuito com os principais pontos da cidade a pé.

Uma caminhada super agradável passando pelo Puerto de Punta Del Este; o Faro, aliás, achamos que seria mega imponente, mas é pequeno e o primeiro que sequer autorizam a subida ; a igrej Nuestra Señora de la Candelaria; Punta de la Salina, o ponto mais ao sul do país; e regressamos pela Rambla General Jose Artigas.

Animados e iludidos pelo céu azul, continuamos caminhando para visitar o Cassino Enjoy Punta Del Este (antigo Conrad). No caminho conhecemos a La Vista, onde é possível subir e ter uma vista 360° da cidade, além de contar com fliperamas e boliche no primeiro andar. Na volta, ainda deu tempo de caminhar pela rua Juan Golero, tomar um belo sorvete na Luciano’s e comprar o melhor doce de leite da vida: Lapataya!

Se temos a certeza de que o Uruguai não se resume a Punta del Este, em contrapartida temos certeza do porquê a cidade é seu cartão postal. Existe um glamour por cada esquina que deixa qualquer um impressionado.

O dia foi longo, intenso e muito gostoso, mas eram 22 horas e ainda precisávamos encontrar um lugar para dormir. Como Punta Ballena é bem pertinho e visitaremos a Casapueblo, seguimos para lá e dormimos na extraordinária Ruta Panorámica Carlos Páez Vilaró.

Quer acompanhar de pertinho essa aventura?! Corre lá no Instagram @sonhandoacordadobr

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui