Witzel em oração durante reunião de balanço de seus 180 dias como governador
Foto: Fernanda Rouvenat/G1

Nesta sexta-feira (28/06), o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, fez um balanço de seus 6 primeiros meses à frente do estado.

Diversos assuntos foram abordados, entre eles uma ‘ameaça’ ao Governo Federal, mais precisamente ao Ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre a dívida do estado com a União. Witzel afirmou que apoia a Reforma da Previdência e que é ‘base’ de Bolsonaro, mas que ”também quer ser ajudado”.

”Falei ao Paulo Guedes: ‘Ministro, ou o senhor resolve ou vamos para o Supremo. Mas eu sou contra judiciarização de questão que pode ser resolvida administrativamente. Minha tese de doutorado é sobre isso”, destacou o governador.

”Eu sou apoio do Governo, porém, pra ser apoio, tem que ser apoiado. A Recuperação Fiscal é algo que nós apresentamos de forma estruturada, consistente. Nós apresentamos uma proposta que é razoável. Vamos sentar para discutir. Pra ajudar, a gente tem que ser ajudado”, afirmou o governador.

”Nosso apoio à Reforma da Previdência continua sem qualquer restrição. O que eu estou dizendo para o Governo é que nós somos base. Agora, nós estamos pedindo atenção porque não é só pro Rio de Janeiro. São estados ricos que estão endividados. O Governo precisa ter uma atenção especial pra poder fazer a Recuperação Fiscal”, disse Witzel.

Maior facção do Rio ‘sem munição’

”A informação que tenho do comandante da Polícia Militar é que o Comando Vermelho está sem munição. Parabenizo por isso o trabalho da Polícia Rodoviária Federal, que está evitando que cheguem aqui armas e munição. Isso demonstra que já começou a asfixia”, disse Witzel.

Promessas

Entre os compromissos firmados pelo governador, está resolver a situação da Linha 4 do metrô. A estação Gávea, proposta na expansão até a Barra, está com as obras paradas.

”Vamos resolver a Linha 4 do metrô ainda esse ano, porque aquele buraco não pode ficar aberto. Nós estamos tapando vários ‘buracos’ por aí e vamos tapar esse também”, disse Witzel.

Para a esfera educacional, o governador pretende chegar a 100% das escolas atendendo em período integral até o fim de seu mandato.

”Ano que vem, vamos ter 500, quase 600, escolas em período integral. E, se Deus quiser, até o fim do governo, vão ser 100%”, destacou.

Por fim, Witzel anunciou novos pontos do programa Segurança Presente, que conta com policiamento ostensivo bancado por parcerias público-privadas.

O ”Segurança Presente” chegará aos seguintes bairros: Bangu, Barra da Tijuca, Botafogo, Laranjeiras e Vila Isabel, além das cidades de Duque de Caxias e Nova Iguaçu, ambas na Baixada Fluminense.

Assista aos vídeos do Diário do Rio

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui