Fachada do Guanabara em Bangu, na Zona Oeste - Foto: Reprodução/Internet

A rede de supermercados Guanabara, uma das principais do Rio de Janeiro, tem importantes – e polêmicas – mudanças para 2020.

Desde o último dia 19/01, as 26 lojas que compõem a rede na capital fluminense e Região Metropolitana não funcionam mais aos domingos.

Essa novidade pegou de surpresa o Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro (SEC-RJ), que alegou não ter sido comunicado oficialmente da decisão do Guanabara e garantiu que ficaria de olho na situação para que nenhum direito garantido na convenção coletiva dos funcionários fosse descumprido.

”Vamos conversar com o Guanabara para termos mais informações sobre os motivos de não abrir aos domingos, mas já entendendo que essa é uma decisão que cabe apenas ao supermercado. Nosso papel é garantir que todos os direitos que estão na nossa convenção sejam efetivamente respeitados”, disse o presidente do SEC-RJ, Márcio Ayer, na época da decisão da rede de supermercados.

Em 2017, o então presidente do Brasil, Michel Temer, assinou decreto que tornou os supermercados serviço essencial, transformando domingos e feriados como dias normais de trabalho. Isso fez com que o adicional de 100% para quem trabalha nestes dias não fosse mais obrigatório, aumentando ainda mais o lucro dos patrões e prejudicando bastante o poderio financeiro dos comerciários do setor.

Apesar do decreto, alguns supermercados, entre eles o Guanabara, mantiveram esse adicional de 100% aos domingos, garantindo uma importante conquista para os trabalhadores até hoje.

Ainda de acordo com o Sindicato, eles estarão acompanhando a situação e, caso o Guanabara decida reabrir aos domingos, cobrará o retorno do pagamento deste benefício.

Possível demissão em massa também preocupa

Outra situação bastante preocupante em relação aos Supermercados Guanabara é a possível demissão em massa que afetaria de 3.500 a 4 mil funcionários da rede.

O SEC-RJ também disse estar acompanhando o caso, e emitiu comunicado oficial.

”Depois de anunciar o fechamentos das lojas nos domingos, o Guanabara informou que pretende demitir 3.500 a 4 mil trabalhadores nos próximos meses. Além disso, a empresa já apresentou em negociação a intenção de implementar a jornada 12×36, banco de horas e o contrato por jornada intermitente.

O Sindicato dos Comerciários do Rio abriu negociação com o objetivo de encontrar saídas para que não ocorram essas demissões e participou de uma mesa redonda na Delegacia Regional do Trabalho com a participação da empresa para tratar desta questão.

O Sindicato já disse que não concorda com mudanças de jornada que não estejam na convenção coletiva e que espera da empresa uma proposta concreta para evitar um número tão grande de demissões.

Para piorar, sem dar qualquer informação para seus funcionários, o supermercado cortou o adicional de 100% de quem trabalha nos feriados. Os trabalhadores só ficaram sabendo na hora que receberam o contracheque. Essas mudanças atingem duramente os ganhos mensais dos comerciários, que contam com este ganho extra para completar os salários.”

O DIÁRIO DO RIO entrou em contato tanto com o Supermercados Guanabara quanto com o SEC-RJ para saber como está a situação no momento, mas, até o fechamento desta matéria, não recebeu resposta de nenhuma das partes.

10 COMENTÁRIOS

  1. Infelizmente o nosso colega Joé falou merda acima.
    Todo trabalhador de comércio tem direito a ficar em casa no domingo, e com a família.
    Ninguém é escravo de ninguém.
    Só quem trabalha ou já trabalhou em supermercado sabe a sugação que é.
    Não fale o que você não sabe, e não chame ninguém de preguiçoso.

  2. Boa tarde
    Eu acho ótima idéia dos mercados não funcionarem aos domingos, mais para isto é preciso fazer uma compensação de salários, o financeiro fazer um levantamento das horas extras de cada funcionário e com isto os funcionários teria um percentual de aumento de salário para compensar, pois o mercado não terá prejuízo, pois aquelas pessoas que faria as compras nos domingos passaria fazer em um dia na semana.

  3. Não sei, mas tô achando muito estranho um grande supermercado fechar aos domingos. Sinceramente não acredito que seja por causa de hora extra.

  4. Não entendo isso…se abre domingos e feriados acham exploração. Se não abre é uma falta de consideração com funcionários. Por favor decidam.
    Preguiçosos
    Agora que viram que podem ser mandados para o olho da rua querem que o mercado abra aos domingos. Querem receber e não trabalhar. O povo desse país é preguiçoso mesmo. Por isso que ao ficarem de Licença Médica, o INSS demora e cobra tudo quanto é tipo de exames e incontáveis perícias. Deviam colocar a maquina da verdade quando o trabalhador ficasse doente, para atestar se estão mentindo.
    Na minha época quando o caixa digitava todos os preços, ninguém tinha tendinite. Hoje só o ato de passar o produto na leitora causa artrites deformantes….
    E ainda tem gente que acha ganância. O funcionário recebe 100% ao trabalhar domingo….quero ver agora ao deixarem de receber esse acréscimo se vão dizer que é ganancia do supermercado….
    Adorei o mercado não abrir mais domingos. Quero ver quando os funcionários que se diziam explorados forem fazer compras. Ou vão fazer nas férias ou terá que faltar ao trabalho para ir ao mercado….Compre aos domingos…kkkkkkkkkkkkkkk

  5. Uma triste realidade!! Pois se enganou quem pensou que o Guanabara estava fechado aos domingos em prol dos funcionários!!! …. Meu DEUS quando a ganancia vai ACABAR?????

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui