Acesso clandestino em estação de trem no RJ - Foto: Reprodução

Uma situação curiosa chamou a atenção da SuperVia, companhia responsável pelo transporte ferroviário no Rio de Janeiro, e será resolvida na Justiça. Visando ”facilitar”, financeiramente falando, a vida dos passageiros, foi criado um mapa virtual divulgando ”passagens secretas” ilegais para utilizar os trens sem precisar pagar pelo serviço. A postagem acabou parando nas redes sociais e, em cerca de 24 horas, 55 acessos clandestinos foram divulgados.

O principal argumento para a criação do mapa, segundo os usuários, foi o aumento no preço da tarifa da SuperVia. Atualmente custando R$ 4,70, a passagem dos trens do RJ irá para R$ 5,90 a partir de fevereiro.

Vale ressaltar que, para conseguir acessar algumas dessas entradas, acaba-se colocando a própria vida em risco. Na estação Madureira, por exemplo, o mapa aponta que é necessário escalar parte de um muro. Em Honório Gurgel, por sua vez, um terreno baldio serve de acesso para se chegar clandestinamente à referida plataforma. Já em Padre Miguel, o mapa informa que a passagem é realizada por dentro de uma boca de fumo.

Devido à complexidade da situação, a SuperVia informou que acionará a Justiça para que o mapa seja retirado do ar o quanto antes. Vale ressaltar que quem elaborou o material e colaborou com a publicação também poderá ser responsabilizado.



Toda manhã o resumo do Rio de Janeiro

8 COMENTÁRIOS

  1. Quem tem que ser removido é a supervia. Aumento de mais de 1 real! Ta de sacanagem. Metro na Bahia é 3 reais, trem é 50 CENTAVOS! Bando de ladrões!

  2. Sou morador de Duque de Caxias E vejo todos os dias várias pessoas pulando o muro na frente dos agentes de segurança da supervia e fica por isso mesmo ninguém fala nada, outra coisa que vejo é a venda de roubo de cargas dentro das estações da supervia e nas composições ninguém fala nada, oque está avendo?

  3. Que ideia mais idiota Daniel. Tu acha que iria acontecer o que? O desemprego iria subir absurdamente, o tráfico cresceria absurdamente^3. Essa cidade que já é horrível iria terminar de ser destruída. E as pessoas que precisam ir pra faculdade, por exemplo? Onde eu moro não da pra chegar na UFRJ a pé, e por ser de classe média eu preciso do transporte público.

    Na verdade a tua proposta destrói a classe alta que precisa passar de carro pelo RJ, a classe média que com muita dificuldade iria pegar transporte público ocasionalmente e a classe pobre que é a que sempre se ferra mesmo. Isso nem mesmo vale a pena para os traficantes que teriam que competir mais ainda pra vender droga, o que traria mais banho de sangue.

    Sinceramente tu deve ser troll.

  4. Quanta ignorância. O que você acha que aconteceria, Daniel? As favelas na Zona Sul e entorno do Centro explodiriam! O Bilhete Único – as duas versões, o Carioca a R$ 4,05 e o Intermunicipal a R$ 8,55 – é o instrumento que permite que as pessoas morem mais longe dos seus locais de trabalho e, com isso, diminua a pressão da favelização nas áreas de entorno dos polos geradores de emprego.

  5. Supervia vai acabar implantando a contravalidação – passar o cartão na saída pra poder sair da estação (e se não tiver saldo, uma maquininha de carga para completar). O Rio de Janeiro precisa coibir essas bandalhas. O trabalho tem que ser pago, ao serviço prestado é justo seu pagamento.

  6. O único jeito de impedir uma multidão de pessoas se deslocando de um lado para o outro é aumentando o valor das passagens.

    Um preço justo na passagem de tem é R$ 25. Ônibus R$ 30. E Metrô R$ 35.

    Assim acabaria o inferno. Obrigaria os patrões a contratarem apenas quem mora perto. E as pessoas não mais buscariam emprego longe de casa.

    • Mano, isso é de uma acefalia tremenda. Essa ideia é impossível pq existe uma grande concentração de serviços e empresas. Os subúrbios não tem mão de obra por isso existe um movimento pendular. Não estudou isso em geografia básica?

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui