Surto Trópico: o novo bar alternativo da Zona Oeste

Localizado na Taquara, na Estrada do Rio Grande 2695, o local é voltado às artes, cultura brasileira, artistas locais e muito mais

Foto: Divulgação

Aberto há poucos meses, oSurto Trópico, bar localizado na Taquara, Estrada do Rio Grande 2695, normalmente provoca uma frase em quem visita o espaço pela primeira vez: “Faltava um lugar assim aqui na área”.

“Não existem muitos lugares assim, né? Não me lembro de nenhum lugar assim por aqui na Taquara ou bairros vizinhos. Acabo ouvindo muito isso, até dos próprios artistas que tocam no bar que vêm de outros lugares. Temos um exemplo do Gira Vinil que vem lá de Cabo Frio e comentam que no Surto eles se sentem livres, que o público é muito maneiro etc. Outro exemplo que temos é o Túlio Baía que faz a festa Tupiniquim que já tocou algumas vezes aqui. Ele comenta que não conhece um espaço como o Surto nem mesmo na Zona Sul, e ter algo assim aqui na Taquara é muito bom por ser uma área muito carente de cultura. Acho que já é uma referência, só falta mais pessoas conhecerem”, conta Thiago Maldonado, proprietário do bar.

“Tudo começou quando o Lucas [Dias], um dos proprietários, morava em Rio das Ostras e eu fui viajar pra lá certa vez e fiquei na casa dele, o Lucas já tinha essa ideia de querer abrir um bar, pois já tinha um lugar, ele morava em cima de uma loja que havia fechado. Só que pra mim na época era inviável eu me mudar pro Rio das Ostras e ele acabou de fato abrindo esse bar que ficou aberto por um tempo e depois fechou. Com a pandemia o Lucas teve que voltar a morar aqui na Taquara, com isso voltamos a sair e a pensar novamente nessa ideia de abrirmos um bar juntos. Mostrei pra ele o espaço e ele viu que ia dar pra fazer uma coisa muito maneira; De início o Lucas tomou a frente do espaço e eu fui ajudando ele a fazer o bar tomar a forma que a gente queria, assim como também outros amigos ajudaram a gente nessa, pintando parede, varrendo o chão, tirando entulho etc. E então abrimos o bar formando essa parceria/sociedade”, destaca Thiago.

O Surto, como é chamado pelos frequentadores, tem como conceito a valorização das artes, da cultura e musicalidade brasileira e de artistas locais. Apesar disso, o espaço está sempre aberto a quem faz arte em outras partes da cidade e até do estado do Rio de Janeiro. A história do bar, inclusive, se iniciou bem longe da Taquara.

Embora o bar já tenha cativado um público fiel na região, não é o tipo de empreendimento fácil de manter: “É complicado abrir qualquer negócio no Brasil né, ainda mais aqui no Rio de Janeiro que o custo de vida é elevadíssimo. Tirando essas questões de burocracia, depois de abrir um negócio o desafio é manter, porque o conceito do Surto por ser impopular, às vezes fica de difícil entendimento do público; De primeira algumas pessoas podem ver o bar e achar que é um bar de rock por exemplo, pela parede ser pintada de preto. Só que na real existem vários outros elementos que compõem o cenário do Surto como cores, grafites e artes, que pra quem não está acostumado com lugares assim, de primeira fica confuso com o conceito do bar. O bar é voltado para exaltar a música Brasileira, é para as pessoas terem a oportunidade de curtir algo underground e regional, sem precisar se deslocar lá pro centro ou Zona Sul”, pontua Thiago Maldonado.

Durante o período mais agudo da pandemia, a situação apertou um pouco mais. Contudo, a vontade de resistir pela cultura brasileira e musicalidade, que muitos ainda não conhecem e precisam conhecer, as portas seguiram abertas. E o desejo é seguir resistindo.

“Para começar, o bar era pra ser uma galeria de arte com um bar dentro, só que o bar veio antes porque precisamos vender para conseguir pagar as contas. Então a ideia é trazer mais arte independente, mais cultura e que as pessoas possam vir aqui expor suas artes e se sentirem valorizadas. Quero muito trazer mais disso pra nossa região que precisa tanto, pois eu sinto que as pessoas tem certo medo de mostrar suas artes autorais, e talvez se sintam julgadas pelos outros e até por elas mesmas. Com isso eu quero que o surto seja um lugar seguro para as pessoas se expressarem sem julgamentos, e que os artistas conheçam mais pessoas que também fazem todo tipo de arte e possam se conectar e aos poucos um ir ajudando o outro nesse processo. O Surto não é só sobre dinheiro, é mais sobre pessoas, relações, união e orgulho de ser quem somos e de onde viemos”, afirma Thiago.

O Surto Trópico abre de quarta-feira a sábado. Para acompanhar a programação, basta acessar o Instagram do bar (clique aqui). Vale muito a pena conhecer. E resistir.

1 COMENTÁRIO

  1. Só esqueceram de tirar a lixeira do meio dos clientes na calçada, na verdade em dois lugares diferentes. Higiene, atenção aos detalhes e respeito as normas sanitárias sempre fazem bem. Fica a dica!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui