Liberdade para errar
foto: Alvaro Tallarico

Vivo. Alegria de estar vivo e em liberdade para acompanhar mais uma lua cheia e enfrentar as dificuldades que aparecem. “Mar calmo nunca fez bom marinheiro” é uma frase que sempre me surge nos momentos desafiantes. O pior talvez seja lidar com os problemas que nós mesmos criamos. Você já passou por isso?

Às vezes a gente comete erros e logo depois já percebe isso, mas seguimos em frente, como se nada houvesse acontecido. Entretanto, lá na frente, na estrada, a cobrança chega. Essa semana foi isso que ocorreu comigo. Senti a angústia tomar meu ser, me corroí em culpa por um deslize em um segundo de fraqueza. Sabe quando você prevê o problema, e mesmo assim, erra? Esse é o pior.

Uma amiga me perguntou se eu estava bem e fui sincero ao dizer que não. Talvez fosse a nova super lua junto com eclipse e saturno retrógrado. O inferno são os outros? Não, é preciso ter a consciência de que somos os responsáveis pelas consequências dos nossos atos. “Orai e Vigiai” pega melhor. Se somos livres, há de assumir responsabilidade por tudo o que fazemos.

Liberdade. Ser livre é ótimo, e ser livre para poder errar faz parte dessa estranha experiência humana. “Até os problemas que criamos são menores cercados de bons amigos. Convoca uma equipe de apoio, se permita ter errado e querer melhorar já é um passo enorme. Luz nas suas decisões e que as pessoas certas apareçam pra te auxiliar”. Assim me escreveu essa amiga, tirando o peso das minhas costas, com carinho e afeto, ou seja, do jeito certo. Foi uma das pessoas que veio em meu auxílio.

Assumir o erro e procurar consertar é ato de coragem que devemos aprender se quisermos realmente nos tornarmos seres humanos melhores.

Crônica é um texto curto que fala de acontecimentos cotidianos. O que é mais crônico e cotidiano do que errar?

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui