Crítica: Tasca Filho D´Mãe, uma autêntico português na Barra

Crítica: Tasca Filho D´Mãe, uma autêntico português na Barra

1 de setembro de 2018 1 Por Quintino Gomes Freire
Compartilhe

Apesar de ser filho de português, criado em uma autêntica família lusitana, nunca fui muito fã da culinária lá da terrinha, então sempre evitei em ir em restaurantes especializados em comida da terra de Camões. Mas semana passada decidi jantar na Tasca Filho d´Mãe, no Vogue Square (onde tem o excelente gastrobar Vizinho), já que ainda era cedo e o Chez Heaven, de culinária francesa que adoro, estava fechado.

O ambiente pode-se escolher entre a enorme varanda, ou o interior, decorado de forma diferente dos tradicionais portugueses do Rio. Mantém-se um “Q” lusitano de antigamente, mas é refinado e sofisticado.

O atendimento também se mostrou excelente, com o garçom extremamente preocupado com o nosso bem estar, perguntando e explicando bem os pratos. Também aconselhou uma troca, e o chef se recusou a servir uma sobremesa, que ainda faltaria alguns minutos para estar no ponto para ser servida. Em tempos que um garçom do L’entrecôte de Paris do Casa Shopping jogou a colher de sobremesa na mesa, e a conta no meio do almoço, isso foi um verdadeiro alento.

Bolinho de Bacalhau com queijo Serra da Estrela_Foto-Vitor-Faria

Na entrada pedi uma porção de bolinhos de bacalhau (R$ 24), mas não aconselho, não porque seja ruim, ao contrário, é bom. Mas há opções diferentes e que te deixarão muito mais feliz, como é o caso do Bolinho de Bacalhau com Queijo Serra da Estrela (R$ 14), mas atenção, o queijo tem o gosto pronunciado e se sobrepõe ao bacalhau, mas é para isso mesmo. Já a esposa preferiu ir com a entrada do Camarões ao Bulhão Pato (R$ 46), camarões médio, com lascas de alho e um azeite temperado, que ela desejou ter mais pãozinho para continuar comendo e limpar o prato. Esse prato também tem como principal, com acompanhamentos, mas aconselho a deixá-lo como entradinha mesmo.

Bacalhau do Chef Henriques

 

No prato principal fiquei com um filé a parmegiana com aligot de parmesão (R$  68), o que é, claro, estava muito bom, apesar de achar que no aligot poderia faltar um pouco de sabor, mas obviamente esse não é o forte da casa. E a Ivv pediu o que a deixou extremamente feliz, o Bacalhau a Moda do Chef Henriques (R$ 97), bacalhau feito a baixa temperatura, com batatas ao murro, azeitonas pretas e cebola, o qual, mesmo eu que não sou fã de bacalhau, achei completamente incrível. É, provavelmente, a melhor pedida da casa e obrigatória para quem vai a primeira vez.

Pijaminha

Na sobremesa, na falta da Barriguinha de Freira (R$ 23), que pediram para não servir já que não estava no ponto, pedimos o Pijaminha, um prato que vem com 1/2 Pastel de Santa Clara, 1/2 Toucinho do Céu e 1/2 Pastel de Nata, e nunca provei doces portugueses melhores. O nível de qualidade é tão sensacional, que sem dúvida vou voltar lá nem que seja só para comer os doces.

A conta, sem vinhos, saiu um pouco salgada R$ 348, para duas pessoas. Não é, então, um restaurante para entrar no circuito semanal, mesmo mensal. Mas vale a visita sempre que sentir vontade de comer uma autêntica comida portuguesa.

5 estrelas..

Serviço
Tasca do Filho d’Mãe

Avenida das Américas, 8585 – Barra (Vogue Square)
Telefone: (21) 3030-9080
Horário de funcionamento: segunda a sábado 12h/0h; domingo 12h/21h
Cartões de crédito e débito: todos

Diretor de mídias sociais na Agência B5, palestrante, publicitário, Defensor do Carioca Way of Life e Embaixador do Rio. Começou o Diário do Rio em 2007 e está a frente dele até hoje o levando ser um dos principais portais sobre o Rio de Janeiro.


Compartilhe