Foto: Reprodução Google Streetview

Segundo informações do Jornal O Dia, o Tribunal de Contas da União (TCU) abriu auditoria para apurar como está a disponibilidade de leitos nos hospitais federais e institutos nacionais no Estado do Rio. O objetivo é acompanhar como está a atuação no atendimento de pacientes durante a pandemia de Covid-19. O processo tem origem na representação do Ministério Público junto ao TCU, que reportou a ocorrência de possíveis irregularidades.

Segundo o órgão, há a possibilidade de o governo federal estar se omitindo da responsabilidade de garantir as condições básicas para o funcionamento das unidades de atendimento à saúde. A informação é de que 770 leitos (clínicos e de UTI) estão ociosos devido à falta de profissionais de saúde, de equipamentos e de insumos.

De acordo com os dados coletados pela fiscalização do TCU, o percentual de leitos não utilizados por falta de recursos humanos nos hospitais federais varia de 32% a 44%. Nos institutos nacionais, esse porcentual oscila de 5% a 25%. No entanto, esses números são anteriores ao incêndio no hospital federal de Bonsucesso, em outubro de 2020.

O tribunal determinou que o Ministério da Saúde apresente as medidas adotadas, junto as esferas estadual e municipal, para a disponibilização de leitos para o tratamento de pacientes com Covid-19. A pasta também deve demonstrar qual é o planejamento para amenizar os efeitos da dispensa de 1.419 profissionais, que deve ocorrer até o fim do mês.

Além disso, o ministério terá que informar como foi realizado o processo seletivo simplificado para a contratação de 4.117 profissionais de saúde. Deverá ser exposto qual é o quantitativo de pessoal a ser contratado, discriminado por cargo, especialidade, hospital e setor de lotação.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui