Fachada do Teatro Ipanema, na Zona Sul do Rio, e ator Paulo José - Fotos: Reprodução

Um projeto de lei na Câmara Municipal do Rio de Janeiro deseja renomear o Teatro Ipanema, localizado no número 824 da Rua Prudente de Morais, no bairro homônimo, na Zona Sul da capital fluminense, para Teatro Paulo José, em homenagem ao referido ator, diretor e roteirista falecido na última quarta-feira (11/08), aos 84 anos.

Conjuntamente, assinam o PL 570/2021 os vereadores Carlo Caiado (DEM), Cesar Maia (DEM), Dr. Carlos Eduardo (Podemos), Dr. Marcos Paulo (PSOL), Felipe Michel (PP), Inaldo Silva (Republicanos), Jorge Felippe (DEM), Laura Carneiro (DEM), Luciano Medeiros (PL), Marcio Santos (PTB), Monica Benicio (PSOL), Prof. Célio Lupparelli (DEM), Reimont (PT), Rosa Fernandes (PSC), Tarcísio Motta (PSOL), Teresa Bergher (Cidadania), Vera Lins (PP) e Veronica Costa (DEM).

Vale ressaltar que a medida ainda será votada pela Casa e, conforme aprovação, irá para sanção ou veto do prefeito Eduardo Paes (PSD).

Quem é

Nascido em 20 de março de 1937 em Lavras do Sul, no Rio Grande do Sul, Paulo José Gomez de Souza, mais conhecido como Paulo José, iniciou sua carreira artística em 1966, no filme ”O Padre e a Moça”, no papel do sacerdote. Posteriormente, protagonizou diversas comédias no cinema nacional, como ”Todas as Mulheres do Mundo”, obra que lhe deu o prêmio de Melhor Ator no Festival de Brasília.

Na televisão, estreou em 1969, interpretando Zé Mário na novela ”Véu de Noiva”. Sua consagração, porém, viria 2 anos depois, com o personagem Samuca em ”Assim na Terra como no Céu”. Já em 1972, destacou-se ao lado de Flavio Migliaccio em ”O Primeiro Amor”, com quem depois formaria a dupla cômica Shazan e Xerife.

Paulo José estava internado há 20 dias e acabou falecendo em decorrência de uma pneumonia. Há mais de 20 anos, o ator, vale ressaltar, sofria de Mal de Parkinson

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui