O Ministério Público Federal (MPF) entrou com um pedido no Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) para que a União assuma, em caráter de urgência, a Estação Leopoldina (Barão de Mauá), na região central do Rio. De acordo com o MPF existe risco iminente de incêndio e desabamento da estação ferroviária . O órgão solicitou a instauração de escoras na estrutura do imóvel.



Siga nossas redes e assine nossa newsletter, de graça

Jornalismo sério, voltado ao Rio de Janeiro. Com sua redação e colunistas, o DIÁRIO DO RIO trabalha para sempre levar o melhor conteúdo para os leitores do site, espectadores dos nossos programas audiovisuais e ouvintes dos nossos podcasts. O jornal 100% carioca faz a diferença.

Ainda de acordo com o órgão, também faltam inspeções nas instalações de energia, água, gás e da remoção e da preservação dos arquivos.

Em recurso no processo sobre as obras urgentes na estação, o MPF na 2ª Região discordou do TRF2, que tinha determinado a reforma emergencial em dois pontos indicados por perito: no hall da escada do edifício anexo e na escada em concreto armado que fica na fachada direita do anexo. O MPF recorreu contra a ordem judicial para ampliar seu alcance e por avaliar que houve uma omissão na decisão do Tribunal, por não ter enfrentado a crise com a devida gravidade.

O Ministério Público Federal confessa-se, inicialmente, perplexo, pois verificou que parece não ter sensibilizado às partes e ao próprio douto colegiado a situação de perigo iminente de desabamento e incêndio apurada nos autos, a vitimar o prédio da antiga Estação Ferroviária Barão de Mauá, nesta cidade”, destaca o MPF no documento.

O órgão relacionou uma série de problemas envolvendo a estrutura da estação ferroviária. Tais como; partes do prédio e seu anexo estão cedendo; elementos estruturais foram retirados; não se conhece a situação das ligações de energia, gás e água; existe material ferroviário de grande valor nos arquivos e nos pátios, um rio não dragado e uma fábrica de estruturas paralisada, com inúmeros focos de endemias não controladas; o perigo de desabamento consta expresso no laudo pericial da Polícia Federal , feito em julho de 2017, há dois anos e meio já, permitindo concluir que tudo se agravou.

1 COMENTÁRIO

  1. Enquanto isso, na capital da Republiqueta das Bananas, a farra do boi com o dinheiro público continua correndo solta… Vejam a gastança do dinheiro público: após as noventa e cinco viagens de Dias Toffoli e as duzentas e trinta viagens de Rodrigo Maia, agora é a vez de Davi Alcolumbre, Presidente do Senado – enfiar a mão nos nossos bolsos.

    Este sem noção corrupto e safado do Alcolumbre já gastou R$ 840 mil em diárias e passagens só para assessores, sem contar “altos deslocamentos” com aviões da (FAB).

    Sessenta e duas diárias em NYK e Roma é um pouco demais… Quantos assessores este meliante levou para passear nos EUA e na Europa às nossas custas ?

    Por que o Alcolumbre precisa de tantos assessores ?

    E por que ele precisa viajar para fora do Brasil, se aqui dentro do Brasil ele não faz absolutamente nada que preste pelo Brasil e pelos brasileiros ?

    Este safado já deveria ter sido fuzilado em praça pública, pois não é para isso que o povo brasileiro paga altíssimos impostos, para sustentar viagens internacionais e luxos desta cambada de vagabundos e marginais !!!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui