Foto: Reprodução

Morreu na manhã desta sexta-feira, dia 18/12, Celuta Carvalho da Silva, conhecida como Tia Celuta da Portela. Ainda não foi divulgada a causa do falecimento. De acordo com relatos de familiares, a baluarte morreu enquanto dormia, tinha trombose e já estava com a saúde bastante debilitada.

Tia Celuta tinha 89 anos e era sócia benemérita da Portela. Frequentadora assídua da quadra da escola e do Sambódromo, esteve presente na sua inauguração em 1984. Apaixonada pela Portela, segundo a sua escola de samba do coração, a baluarte dizia que a Marquês de Sapucaí era o seu lugar predileto. Ela falava” Essa é minha casa”. Mas devido à trombose, no carnaval deste ano, Tia Celuta não pode ir ao lugar que mais amava.

Animada, apesar da idade avançada, Tia Celuta sempre estava presente nos ensaios técnicos na Cidade do Samba e acompanhava as gravações e entradas ao vivo durante a transmissão televisiva do Carnaval. Na década de 80, ingressou na Associação dos Amigos do Setor 11 (AMA-11), um grupo de pessoas apaixonadas por Carnaval.

No início dos anos 2000, Tia Celuta ficou impossibilitada de subir muitas escadas em decorrência da trombose e por isso, passou a assistir os desfiles das frisas. Como boa sambista, ainda fazia parte do Grupo da Abolição, que promovia eventos aos domingos, era fã do cantor Diogo Nogueira e acompanhava os shows do artista com frequência.

O sepultamento será realizado na tarde desta sexta-feira, dia 18/12, às 16:30h, no Cemitério de Inhaúma, zona norte da cidade. Tia Celuta deixa 2 filhos e 1 neta.

Costa do mar, do Rio, Carioca, da Zona Sul à Oeste, litorânea e pisciana. Como peixe nos meandros da cidade, circulante, aspirante à justiça - advogada, engajada, jornalista aspirante. Do tantã das avenidas, dos blocos de carnaval à força de transformação da política acreditando na informação como salvaguarda de um novo tempo: sonhadora ansiosa por fazer-valer!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui