Traficantes arrombam estação desativada da Cedae e vendem água ilegalmente, em São Gonçalo

O grupo conseguiu religar o sistema de abastecimento de caminhões-pipa e vendiam mais de 15 mil litros de água pela metade do preço habitual

Foto: Reprodução

Milhares de litros de água de uma estação desativada da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) estavam sendo desviados por traficantes de São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio.

A Polícia Civil e Instituto Estadual do Ambiente (Inea) realizaram uma operação, na segunda-feira, (11/07), para romper o esquema de desvio de água. De acordo com as autoridades, traficantes arrombaram e invadiram a antiga estação da Cedae e passaram a retirar água de modo irregular diretamente das tubulações.

Os criminosos conseguiram religar, clandestinamente, um sistema de abastecimento de caminhões-pipa que existe no local, situado no bairro Jardim Catarina, e cobravam menos da metade do preço habitual, estabelecido pela concessionária, para encher veículos de 10 mil e 15 mil litros.

As apurações do caso informam que a água vendida ilegalmente era transportada para diversas regiões do estado, como a própria São Gonçalo, Niterói, Itaboraí, Magé, Tanguá, Rio Bonito e até na capital.

Os responsáveis pelo abastecimento ilegal foram conduzidos para a sede da DDSD, na Cidade da Polícia, na Zona Norte do Rio, e presos em flagrante pelo crime de furto. A pena é de 1 a 4 anos de prisão, podendo também ser de 2 a 8 anos.

O trabalho de monitoramento e investigação na estação desativada contou com a participação de policiais civis da Delegacia de Defesa dos Serviços Delegados (DDSD) e de fiscais da Superintendência Regional Lagos São João (Suplaj) do Inea.

Advertisement

2 COMENTÁRIOS

  1. Demorou… mas, enfim, o tráfico e a milícia chegaram ao bem mais precioso: a água! Em breve, São Gonçalo terá que ter uma atenção redobrada, ou irá por em risco toda a segurança hídrica da região. Idem ao sistema Guandu, que também não está incólume a isso.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui