Rompimento de grande piscina natural colaborou com estragos em Realengo e Taquara

De acordo com ambientalistas, o grande volume de chuvas na noite do último sábado (29/02) e ao longo do dia 01/03 provocou o transbordamento de água de uma piscina natural em um ponto do Parque da Pedra Branca, nas proximidades da subsede Piraquara, em Realengo.

Os danos deste grande montante de água causaram muitos estragos na região de Realengo e da Taquara. Dos 4 mortos por conta das chuvas deste final de semana, 1 foi na Taquara e outro no Tanque, bairro vizinho.

Em Realengo, o Prefeito chegou a ser atingido por uma bola de barro, arremeçada por alguém, enquanto ele dava uma entrevista no bairro atingido pelas chuvas.

Ainda segundo os ambientalistas, em contato com o DIÁRIO DO RIO, a piscina natural só rompeu porque a quantidade de chuvas foi muito acima do esperado. Choveu, no bairro de Realengo, em 24 horas, o esperado para um mês.

O mesmo grupo de ambientalistas esclareceu que não foi a represa do Camorim – que já estava sob estágio de atenção –, também no Parque da Pedra Branca, que rompeu, desmentindo notícias falsas que circularam em redes sociais.

1 COMENTÁRIO

  1. Gostaria de obter o contato desses ambientalistas para perguntar onde fica a citada piscina natural. Sou engenheiro e morador da Taquara e resido próximo ao parque da Pedra Branca, e desconheço a citada
    piscina. Acredito que a informação pode estar incorreta.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui