O Rio de Janeiro é uma cidade que conta com um razoável número de locais com atrativos culturais. Muitos desses espaços abrigam em suas paredes incríveis histórias de outras épocas.

O Diário do Rio lista aqui três teatros que fazem parte do passado, do presente e, se tivermos sorte, farão parte do futuro da Cidade Maravilhosa.

João Caetano

10012009_Reforma do Teatro João Caetano<br />
Reforma do Teatro João Caetano<br />
Fotos Paulo Botelho<br />

Inaugurado em 13 de outubro de 1813 – o mais antigo do Rio de Janeiro -, o Teatro João Caetano se chamava Real Theatro de São João. Depois, recebeu outros nomes, como Imperial Theatro São Pedro de Alcântara (em 1826 e em 1839) e Theatro Constitucional, em 1831. Só em 1923 passou a ser chamado pela atual alcunha.

O primeiro nome foi em homenagem ao príncipe regente, Dom João VI. Em frente ao prédio encontra-se uma estátua em tamanho natural do ator João Caetano, que chegou a ser proprietário do teatro.

O teatro foi cenário de importantes acontecimentos históricos do país. Foi lá que assinaram a primeira constituição brasileira. Sua versatilidade para encenar gêneros de espetáculos variados o torna também um dos mais conhecidos e respeitados espaços cênicos do país.

Serviço

Praça Tiradentes, s/n Centro – Rio de Janeiro
Telefone: (21) 2332 9166/ 2332-9258| (21) 2332 9257 (bilheteria)

Passa-no-Pao

Depois de um passeio histórico-cultural, uma volta no shopping não faz mal. O Diário do Rio indica uma visita ao Shopping Paço do Ouvidor. Passa no Paço que a satisfação é garantida.

Carlos Gomes

Teatro Carlos Gomes Rio deJaneiro

Também localizado na Praça Tiradentes, o teatro Carlos Gomes é de 1872. Nessa época, ainda se chamava Theatre Franc-Brésiliene. Também foi denominado como Teatro Santana.

Ao longo dessa história, o Carlos Gomes sofreu três grandes incêndios. O primeiro, em 1929, destruindo todo o prédio, que precisou ser reconstruído. Os outros dois aconteceram em meados dos anos 1950 e 1960. Para a sorte dos amantes de teatro sobreviveu a esses e outros problemas que surgiram ao longo de sua secular trajetória.

Por pouco o teatro não foi demolido para que fosse construído um hotel, em 1984. No ano seguinte, iniciou-se uma grande reforma, sob o comando de Orlando Miranda. Em 1988, o Teatro foi comprado pela Prefeitura do Rio de Janeiro, sendo restaurado e entregue ao público em 1992.

O atual nome do teatro (que passou a se chamar assim em 1905) é uma homenagem ao compositor Carlos Gomes.

Serviço

Rua Pedro I, Praça Tiradentes 4 Centro – Rio de Janeiro
Telefone: (21) 2224-3602

Municipal

TEATRO MUNICIPAL/RIO DE JANEIRO por Alex Carvalho

Construído como parte do conjunto arquitetônico das obras de reurbanização da cidade do Rio de Janeiro (RJ), no governo Pereira Passos, o Teatro Municipal é considerado um dos principais palcos para a cultura carioca e brasileira.

Em 1894, Arthur Azevedo, autor de teatro, iniciou uma campanha cujo objetivo final era a construção de um teatro para ser sede de uma companhia municipal. O resultado foi a criação de uma lei para que o espaço fosse construído. Porém, a lei não foi cumprida.

Durante o mandato de Pereira Passos realizou-se um concurso para a construção de um novo teatro. O projeto vencedor foi de Francisco de Oliveira Passos (filho do então prefeito Francisco Pereira Passos), que contou com a colaboração do francês Albert Guilbert, com um desenho inspirado na Ópera de Paris, de Charles Garnier.

A construção do célebre edifício foi iniciada em 1905. Para decorar o prédio, foram chamados os mais importantes pintores e escultores da época, como Eliseu Visconti, Rodolfo Amoedo e os irmãos Bernardelli. Também foram convocados artesãos europeus para o trabalho com os vitrais e mosaicos.

No dia 14 de julho de 1909 o Municipal foi inaugurado pelo então presidente da República, Nilo Peçanha.

Serviço

Praça Floriano, S/N – Centro, Rio de Janeiro
Telefone: (21) 2332-9191

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui