Foto: Divulgação/TribOz

A Lapa, tradicional bairro boêmio do Centro do Rio de Janeiro, sabidamente é um local de diversidade de ritmos musicais e estilos de personalidades. Há eventos de samba, rock, pop, música latina, entre outros, e seus respectivos públicos convivendo quase que ‘harmoniosamente’ entre si.

Nesse contexto, há espaço também, obviamente, para um dos estilos musicais mais antigos e tradicionais existentes no mundo, o jazz. E o ‘point’ principal, na Lapa, certamente é o TribOz – Centro Cultural Brasil-Austrália, localizado na Rua Conde de Lages.

Foto: Divulgação/TribOz

No TribOz, você pode ouvir o melhor de ofertas musicais do Rio de Janeiro em silêncio, enquanto desfruta de um bom vinho australiano e saborosos petiscos numa atmosfera charmosa e romântica da boemia carioca.

Desde a sua inauguração, em 2008, o TribOz continua a oferecer uma experiência de jazz único através de uma combinação cuidadosamente planeada de sons provocantes com decorações e gostos que dão ênfase ao foco principal da casa: shows dinâmicos de jazz brasileiro/jazz global de nível internacional, com ênfase em ‘quente’ improvisações, espontaneidade e originalidade, projetos visuais e decorações com um toque afro-diáspora tribal, complementados por criações de menu originais concebidas para aumentar a experiência sensorial complete.

Foto: Divulgação/TribOz

O TribOz foi fundado pelo músico australiano Mike Ryan, atualmente com 70 anos de idade, morador do Rio de Janeiro desde 1999. Mike, que iniciou sua trajetória na música aos 5 anos, são ecléticos e variam de música e identidade étnica multicultural/urbana, world music, comunidades de música global influenciadas pela diáspora africana e expressões globais de jazz à experimentação musical e explorações multimídia que buscam a liberdade de restrições estilísticas e conceituais estabelecidas.

Mike Ryan, fundador do TribOz – Foto: Divulgação

”O TribOz é resultado de 5 anos de construção (2003 a 2008). Quando comprei a casa, que já tinha mais ou menos 100 anos, estava numa condição horrível. Derrubei tudo, menos a fachada, e foi uma construção totalmente nova. Só mantive a fachada mesmo. Eu quis garantir que essa nova construção fosse feita para durar pelo menos 200 anos.

Eu sou australiano, mas tenho uma conexão com o Brasil de quase 50 anos, promovendo a cultura brasileira como músico, compositor e acadêmico. Então, para mim, construir uma coisa tem que ser durável. Minha intenção desde o início foi criar um espaço, um centro cultural, que ‘unisse’ as pessoas, uma coisa bem ‘paz e amor’ mesmo, para esse tipo de manifestação.

O Brasil me deu muita coisa boa, seja em composições, em PhD/doutorado, apresentações em universidades sobre cultura. TribOz foi meu ato de reciprocidade para este país que eu amo. É uma retribuição. Já tivemos mais de 2 mil apresentações de música ao vivo, com artistas do mundo inteiro (Japão, Estônia, África, Itália, Bulgária, Nova Zelândia). É um lugar único. Não sou motivado pelo dinheiro, trabalho pelas comunidades e pela arte”, ressaltou.

Fachada do TribOz, na Rua Conde de Lages – Foto: Divulgação

Certamente, para quem gosta de jazz, vale muito a pena conhecer o TribOz.

SERVIÇO

TribOz – Centro Cultural Brasil-Austrália

  • Endereço: Rua Conde de Lages, 19 – Lapa – Centro – Rio de Janeiro/RJ
  • Horário de Funcionamento: Quinta-feira e sexta, das 18h às 01h / Sábado, das 20h às 01h
  • Site

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui