Foto: Divulgação

A Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) está representando o Brasil na pesquisa “Adaptação social em estresse na pandemia de Covid-19: um estudo transcultural”. O estudo reúne 24 países de quatro continentes e tem por objetivo, compreender as mudanças sociais e as percepções pessoais em relação à ameaça representada pelo coronavírus. A coordenação é da professora Edna Ponciano, do Instituto de Psicologia da instituição.

Na fase preliminar, a pesquisa observou questões como ansiedade, empatia, estresse, suporte e comportamentos sociais e culturais entre os vários países. De acordo as 15.375 respostas, tabuladas entre maio e agosto de 2020, os brasileiros estão entre os mais estressados, comparados às pessoas de outros países. Entre as principais causas, destacam-se baixo nível de empatia, grande desgaste emocional pessoal, sofrimento e aumento do individualismo.

O resultado é diferente em países que oferecem mais infraestrutura coletiva de apoio as populações, que experimentam menor impacto do sofrimento psíquico provocado pela pandemia. Neste momento, o estudo está entrando na sua segunda fase, que tem como foco a vacinação. De acordo com a professora Edna Ponciano, o foco neste momento da pesquisa é verificar a intensão das pessoas em aderirem ou não à imunização contra a Covid-19.

“A intenção é levantar quem está ou não sendo vacinado, se pretende se vacinar e qual o nível de compreensão dos brasileiros sobre a importância de se imunizar”, explica a coordenadora do estudo.

Segundo a pesquisadora, o trabalho é importante para contribuir no enfrentamento da pandemia e também no enfrentamento de crises futuras.

“Além de mapear a situação corrente, ajudará com dados, identificando e ajudando a embasar práticas interventivas no campo da saúde mental”, destaca Edna Ponciano.

Para participar da pesquisa, é preciso ter mais de 18 anos. Basta acessar o formulário eletrônico disponível até o fim de julho neste link.

Costa do mar, do Rio, Carioca, da Zona Sul à Oeste, litorânea e pisciana. Como peixe nos meandros da cidade, circulante, aspirante à justiça - advogada, engajada, jornalista aspirante. Do tantã das avenidas, dos blocos de carnaval à força de transformação da política acreditando na informação como salvaguarda de um novo tempo: sonhadora ansiosa por fazer-valer!

1 COMENTÁRIO

  1. É claro q aqui o estresse foi maior,pois além do medo do virus chinês, há um claro movimento da esquerda corrupta,em conivência com a “justicinha fuleira “,em arrancar o presidente eleito pela maioria ,DEMOCRATICAMENTE,criando uma desestabilização em todo o país!!!Essa corja canhota, tá cagando para o povo brasileiro, as vacinas chegaram ao mesmo tempo no resto do mundo(e aqui NUNCA faltaram)…..o dinheiro do governo federal chegou aos Estados,mas foi ROUBADO!!E ainda querem ressuscitar o presidiário bebum…q além de roubar ,ferrou com o SUS nos seus 16 anos de corrupção desenfreada!!
    Isso desestabiliza e estressa qq pessoa minimamente HONESTA!!!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui