Uerj lança projeto de incentivo ao artesanato fluminense

A inciativa prevê a capacitação de artesãos nas áreas de empreendedorismo e marketing, que vai  contar com investimento de R$15 milhões, atingindo 46 municípios

(Foto: Divulgação Uerj)

Com o intuito de fomentar ações de valorização da cultura, a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj)  lançou na última  sexta-feira (19/11), o Programa de Fortalecimento do Artesanato Fluminense, no Teatro Odylo Costa Filho, no Maracanã. Trata-se de parceria com a Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa (Secec), para a capacitação de artesãos nas áreas de empreendedorismo e marketing, que vai  contar com investimento de R$15 milhões, atingindo 46 municípios.

Esse projeto nos dá muita alegria, seja pela sua capilaridade, seja pela possibilidade de modificação dos municípios. Além disso, é um dos objetivos institucionais mais importantes da Uerj a promoção da cultura e da extensão. Por meio desse projeto a Universidade vai poder ajudar a mudar a vida dos artesãos, dos artistas, do público, da economia das regiões”, afirmou o reitor Ricardo Lodi.

Na cerimônia estiveram presentes a secretária de Estado de Cultura e Economia Criativa, Danielle Barros,  o reitor da Uerj, Ricardo Lodi, o pró-reitor de Graduação, Lincoln Tavares, o coordenador do projeto e chefe de gabinete da Reitoria, Gustavo Siqueira, o prefeito de Miracema, Clóvis Tostes, o vice-prefeito de Cordeiro, Elvis Lima Costa, o deputado federal, Áureo Ribeiro, entre outros.

Com este investimento, queremos consolidar as feiras de artesanato como referências municipais, oferecendo ao artesão uma estrutura de barracas e uma estrutura de tecnologia. Quero agradecer ao reitor da Uerj por ter aceito esse desafio”, ressalta a secretária Danielle Barros.

De acordo com o coordenador do projeto, Gustavo Siqueira, a ideia é promover o diálogo, entender as necessidades de cada área e trocar experiências.

Nossa intenção é atender aos artesãos, que muito sofreram no período pandêmico, mas principalmente tornar o Rio de Janeiro o principal polo cultural do nosso país”, declara.

O programa vai trabalhar com os seguintes eixos: formação e capacitação do artesão, estruturação de pontos de comercialização, ativação cultural e pesquisa. O período de execução será de novembro deste ano até 31 de dezembro de 2022.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui