Foto: Reprodução

A Universidade Federal do Rio corre o risco de fechar as portas por conta de dificuldades financeiras. Essa declaração é da reitora da instituição, Denise Pires de Carvalho, que em um artigo publicado no jornal O Globo, explicou que os cortes nos orçamentos da UFRJ podem inviabilizar o pagamento de diversos serviços da Universidade.

Ela destacou ainda que, entre os serviços afetados, estão também as pesquisas de duas vacinas nacionais contra a Covid-19 que ocorrem em laboratórios da UFRJ e se encontram em testes pré-clínicos.

A UFRJ fechará suas portas por incapacidade de pagamento de contas de segurança, limpeza, eletricidade e água. O governo optou pelos cortes, e não pela preservação dessas instituições. A Universidade nem sequer pode expandir a arrecadação de recursos próprios, pois não estará garantida a autorização para o gasto. A Universidade está sendo inviabilizada”, diz o artigo.

Quintino: UFRJ deveria vender imóveis que são seus e estão em péssimo estado

O texto destaca que desde 2013 o orçamento das universidades vem sendo cortado. O orçamento discricionário aprovado pela Lei Orçamentária para a UFRJ em 2021 é 38% do empenhado em 2012. Quando se soma o bloqueio de 18,4% do orçamento aprovado, como anunciado pelo governo, seu funcionamento ficará inviabilizado a partir de julho.

Em nota, o Ministério da Economia reconhece que houve redução dos recursos discricionários da pasta para 2021, em relação à Lei Orçamentária Anual das universidades federais. No comunicado, o MEC afirmou também vem promovendo ações junto ao Ministério da Economia para que as dotações sejam desbloqueadas e o orçamento seja disponibilizado em sua totalidade.



Toda manhã o resumo do Rio de Janeiro

31 COMENTÁRIOS

  1. UFRJ sempre foi sinônimo de greve e de AUSÊNCIA de administração…
    Resultado intelectual mesmo que é bom, só com subsídio da Petrobras, Furnas e Eletrobrás…
    Dinheiro em empresa não foi feito para gastar, mas para ser administrado…
    Pura incompetência e revanchismo do aparelhamento esquerdista…

  2. Verba, verba, verba… Está sempre faltando verba, quando falta administração e decência…
    Saber administrar somente com aumento de tarifa ou verba é o vício dos administradores públicos que não respeitam o dinheiro do contribuinte…

  3. Os valores que o João apresentou de 2012 a 2021 são Discricionários. A crítica é justa. Mas procurem entender sobre orçamento, verbas discricionário, despesas vinculantes, emendas parlamentares vinculantes, a novela da votação da LOA 2021 e dirijam as críticas para o endereço correto: Congresso Nacional

  4. NEOLIGHT Troca sua fita!
    Universidade nunca foi negócio…
    Educação é direito não é venda
    Pesquisa é muito mais do que uma cabeça neoliberal pode permitir…
    É uma lástima onde os direitistas estão jogando a nação… Vc quer dinheiro da Universidade pra que? Pra comprarem trator? Isso é uma vergonha… inaceitável!!! Chega!!!

    • Vai no estacionamento da faculdade e só tem carro de alunos que poderiam muito bem pagar uma faculdade e preferem estudar de graça e quando formado vao embora pra outros países e os menos privilegiados tem wue trabalhar durante odia pra pagar a faculdade . Acho que 80% dos slunos deveriam pagsr mensalidades para sustentar a instituição e os outros 20% teriam a grstuidade

      • Por que só 20% do pessoal com baixa renda poderia estudar? E os maiores gastos das universidades nem saímos alunos. Imaginamos hospitais universitários. Você nunca usou um ? E a pesquisa….. Tudo isso. Se uma empresa paga uma pesquisa, ela vai direcionar a pesquisa aos seus interesses. Então, a pesquisa deve ser pública, a saúde e a educação também.

  5. Muito sem noção esses bolsonaristas que não procuram estudar e não sabem a importância de uma universidade pública.UMA VERGONHA ESSE GOVERNO GENOCIDA.

    • A importância existe, mas ela não é absoluta. A universidade não pode ser um sorvedouro de dinheiro da sociedade. Ela precisa de eficiência: e sabemos que isso ela não tem. Mas estamos tranquilos: a UFRJ tem muitos cientistas nela, vai conseguir descobrir alguma forma de se virar com o dinheiro que recebeu.

      • Que imbecialidade. Enquanto o governo mama o dinheiro para comprar votos em bancada para apoio a suas emendas, o povo perde em pesquisa, saúde e educação. Isso fora as outras ridicularidades particulares do governo atual.

      • Sabemos quem, cara pálida! Você sabe o quanto de pesquisa tem sido realizadas nas universidades brasileiras?
        Se você for alfabetizado o suficiente deve ter lido que a UFRJ está trabalhando em DUAS vacinas nacionais contra a COVID.

        Mas, infelizmente, não há vacina para o vírus da imbecilidade e da ignorância, daí pessoas como você ainda existem e aos monte por ai…

      • As forças armadas podem ser um sorvedouro de dinheiro. Pra pagar pensão pra filha de soldado tem dinheiro.
        Congresso pode ser sorvedouro de dinheiro. Dinheiro pra rachadinha não falta. Pra emenda parlamentar desviando recurso público não falta.
        Poder executivo pode ser sorvedouro de dinheiro. Não falta dinheiro pro leite condensado do capitão cloroquina. Lanchinho com pichanha de R$1.700 não falta.
        Caro é só universidade.

  6. Como está a situação das outras duas Universidades Federais – UFF e UNIRIO???
    E do Instituto Federal de Tecnologia?
    Essas comparações o Diário do Rio podia levantar…

    • Muito provavelmente está igual. A despesa com pessoal cresce mesmo que não se contrate alguém – porque há engessamento dos quadros e aumento das vantagens garantidas por lei. E isso cresce muito mais que a inflação. Como essas despesas sobem muito rápido, o orçamento com manutenção tem que cair pra compensar. Até o dia que… pega fogo – o caso do Museu Nacional.

      O Museu Nacional pegou fogo porque o dinheiro de sua manutenção nem foi orçado… porque virou salário! E a emenda parlamentar pra UFRJ foi usada pra fazer uma rádio estudantil. Más escolhas.

  7. Francamente, isso é um absurdo? Essa reitora tá de brincadeira, ela não está entendendo que a mamata acabou. Se ela não tem capacidade para gerir essa instituição pede pra sair

    • Como gerir a instituição com todos esses cortes, sem contar a inflação que dispara?

      2012 – R$ 773 milhões
      2013 – R$ 735 milhões
      2014 – R$ 611 milhões
      2015 – R$ 606 milhões
      2016 – R$ 541 milhões
      2017 – R$ 487 milhões
      2018 – R$ 430 milhões
      2019 – R$ 389 milhões
      2020 – R$ 306 milhões
      2021 – R$ 299 milhões

  8. A UFRJ antes,considerada a melhor universidade do Brasil,se tornou(salvo alguns poucos departamentos de pesquisa),totalmente IRRELEVANTE!!!!Sucessivos reitores psoleiros,depenaram aquilo lá, virou um lixo!!!A tampa no caixão foi o crime contra o Museu Nacional!!!Professorecos ganhando muuuito sem nada produzir,e nada para a manutenção da instituição!!!Deu no q deu!!Essa reitora vai penar pra tentar reergue-la

  9. O senhor está certo.

    Tem professor nestas universidades federais no Brasil que estão tirando em torno de R$ 35.000,00 por mês.

    Para piorar a situação eles só trabalham 2 vezes por semana.

    A Universidade Federal de Viçosa em Minas Gerais então é comum isto acontecer.

    • Mano, 35 mil para um prof com doutorado é válido mesmo ele trabalhando pouco. São esses professores que desenvolvem muita coisa no brasil , seja no setor da saúde, indústria, meio ambiente e etc… cada professor com sua área de formação. Agora um oficial do exército ganhando 10 mil só com ensino médio pode né?
      Um técnico judiciário do tribunal de contas ganhando 10 mil só com ensino médio pode né? Um técnico judiciário do tribunal Federal militar com 10 mil e ensino médio pode né?
      Reveja seus conceitos!
      Professor merece ganhar até mais que jogador de futebol !

  10. Deve ser garantida à UFRJ poder gastar o que ela conseguir arrecadar por aí – isso sim – seria uma forma de autofinanciamento… Agora, sobre o orçamento, falta orçamento para todo mundo: não é caso único da UFRJ. Todo mundo está sem grana. Ao invés de pedir mais dinheiro… faça uso da AUTONOMIA UNIVERSITÁRIA sobre seu próprio orçamento!! Que tal reduzir custo, fazer mais com menos, demitir alguns? Fazer caber os custos dentro das receitas… é o que todos os brasileiros estão fazendo neste momento.

    Lembrem-se que ano após ano as universidades têm seus gastos de pessoal aumentando em relação aos demais gastos. Por isso a falta de grana para os outros tipos de gasto. Até o ponto em que as repartições serão apenas pagadoras de salários! Certamente disfuncional.

    • Não seja burro, não se demite funcionário público. Além disso, o orçamento da UFRJ vem abaixando com o passar dos anos, enquanto cresce o número de alunos, veja:

      2012 – R$ 773 milhões
      2013 – R$ 735 milhões
      2014 – R$ 611 milhões
      2015 – R$ 606 milhões
      2016 – R$ 541 milhões
      2017 – R$ 487 milhões
      2018 – R$ 430 milhões
      2019 – R$ 389 milhões
      2020 – R$ 306 milhões
      2021 – R$ 299 milhões

      • A excrescência é não poder demitir o funcionário público. Estamos vivendo num Brasil onde não existem recursos para manter alguém só porque fez um concurso, só porque a corporação assim deseja. Menos despesas significam menos impostos! Reforma Administrativa JÁ!

        • Como não pode?
          Mais da metade dos cargos de muitos órgãos são comissionados.
          Veja a senhora Jairinho no TCM e tanta gente que é agraciada em cargos comissionados.
          Abra o livrinho do historiador Villa que conta do ingresso no funcionalismo público antes do concurso obrigatório – que hoje em dia é burlado com tantos cargos em comissão. Em outras épocas – sem concurso e estabilidade – era a regra as rachadinhas, o servidor tinha que fazer o que os superiores mandavam dentro ou fora da lei.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui