Hospital Federal de Bonsucesso, na Zona Norte - Imagem apenas ilustrativa | Foto: Reprodução/Internet

Nesta quarta-feira (27/10), o incêndio que destruiu parte do Hospital Federal de Bonsucesso completa um ano. Mesmo após tanto tempo, o número de leitos bloqueados ainda é alto e a unidade ainda sofre com os impactos do incêndio. As informações são do portal de notícias “G1”.

O hospital chegou a passar por reformas, mas segundo o Censo Hospitalar, 74% dos leitos da unidade continuam bloqueados. Na justificativa, os principais motivos são “estrutural – obras” e “falta de recursos humanos”, ou seja, falta de profissionais. A direção do hospital informou que, para reabrir todos os espaços do prédio 1 e do prédio anexo, seria necessária a contratação de 361 enfermeiros e 561 auxiliares de enfermagem.

Ainda de acordo com o hospital, para a reabertura dos prédios também são necessários mais 82 fisioterapeutas, 20 psicólogos, 36 nutricionistas, 23 assistentes sociais, 12 terapeutas ocupacionais, 65 médicos anestesiologistas, 24 clínicos gerais, 32 intensivistas, 30 cardiointensivistas, 2 arritmólogos, 5 cardiologistas e 2 nutrólogas.

Além disso, mesmo um ano depois, quem passa em frente ao hospital ainda consegue ver as marcas do incêndio, que provocou a morte de três pacientes. Outros 16 precisaram ser transferidos para outras unidades, mas também não sobreviveram.

Ao portal “G1”, o Ministério da Saúde informou que, apesar da lista feita pela direção, a maioria dos servidores federais já voltou ao trabalho e que todos os esforços estão sendo feitos para dar velocidade à contratação de pessoal, não apenas da unidade, como também de outros hospitais federais no Rio.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui