‘Um flanelinha no Leblon ganha R$ 4 mil por mês’, diz ministro de Bolsonaro

Afirmação foi feita quando ministro falava sobre o aumento da informalidade no país, durante evento de economia

Ministro Rogério Marinho - (Foto: Reprodução)

Segundo o ministro de Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, um flanelinha que atua no bairro do Leblon, na Zona Sul do Rio, ganha de R$ 3 mil a R$ 4 mil por mês. O comentário de Amorim foi feito durante o 93º Enic Política & Estratégia, evento da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic).

O contexto da afirmação do ministro Marinho foi em meio a um questionamento sobre o aumento da informalidade no país, provocada pela pandemia do Coronavírus.

O ministro do Desenvolvimento Regional disse que sempre existiu uma elevada taxa de informalidade no país e ressaltou que, em 2020, houve uma paralisação da circulação de pessoas no mundo.

O que aconteceu? Essa grande massa de pessoas que trabalhavam na informalidade, pela falta de circulação de pessoas, correu para a formalidade. Por uma questão de sobrevivência.”, disse Marinho, que acrescentou.

Então, um flanelinha no Leblon ganha R$ 3 mil, R$ 4 mil reais por mês, mas alguém que está em Jucurutu, no interior do meu estado, o Rio Grande do Norte, ganha R$ 200. É uma realidade completamente diferente”.

7 COMENTÁRIOS

    • Flanelinha, é muito carinho para quem se acha dono da rua, a maioria é cria, cruzada, Vidigal, rocinha, cuja infância foi bem diferente dos pobres do interior do Brasil, ñ iam a escola, porque o apelo do marzão era maior, sempre olhavam para os suburbanos com desdém, e viviam do troco do vizinhos ricos, quem conhece o Leblon, sabe do que estou falando, hj ficam de coitadinhos, dependendo da circunstância.
      Pronto falei. Fui criado na Baixada, e sei o que e ser pobre de vizinhos pobres…

  1. Polêmicas à parte, não era nem para existir essa porcaria de flanelinha.
    Foram tolerando, tolerando, deixaram de reprimir… Até que o poder público passou a gostar, pois virou sócio ‘disso’.

  2. Voçe acha que os que trabalham como flanelinha vão largar a atividade para trabalha com carteira assinada para ganhar salario minimo ? Duvido. Lá eles trabalham quando querem e ainda praticam extorsão que os usuarios são obrigados a pagar para não ter o carro danificado.

  3. Esse infeliz ministro deveria saber que o flanelinha não é atividade lícita, não é informalidade, mas extorsão praticada em plena luz do dia. Se a rua é pública e eu estaciono, só caberia pagar ao agente terceirizado da prefeitura, se houver no local, e não a um meliante que, caso não dê, fico sujeito de ver o carro arranhado por ele e comparsas.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui