Foto: Divulgação/MetrôRio

Durante a pandemia, passageiros do Metrô Rio reclamam que o intervalo entre os trens aumentou e, por conta disso, os vagões estão ficando cada vez mais cheios. Eles relatam ser impossível manter o distanciamento social dentro dos vagões.

Uma passageira relatou ao DIÁRIO DO RIO que os metrôs já viviam lotados antes da pandemia, porém, segundo ela, agora a situação se tornou absurda.

Andar de metrô sempre foi assim… sempre muito cheio, mesmo não sendo tão demorado. Agora na pandemia está um absurdo. Como fazer distanciamento com os vagões lotados? É um risco a saúde todos os passageiros”, ela contou.

Segundo os usuários, houve um aumento entre os intervalos. Isso tem sido um fator preocupante, pois está levando a uma lotação ainda maior dos trens. Além disso, higienizar as mãos é difícil, no metrô. Em algumas estações não tem álcool gel e em outras, vândalos destruíram os dispensers.

O Metrô Rio disse ao portal de notícias G1 que mantém, nos horários de pico, os mesmos intervalos praticados no período antes da pandemia, com oferta máxima da frota, mesmo como redução da demanda diária de passageiros em mais de 58%. A empresa reforçou ainda que durante toda a pandemia, a operação do metrô funcionou normalmente.

A concessionária negou que falta álcool gel nas estações e afirmou que os postos são abastecidos com frequência. Sobre a questão do distanciamento, o Metrô Rio disse que os passageiros, quando possível, devem procurar usar o transporte em horários de menor movimento.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui