Bandidos estão roubando peça dos bancos da Praça Paris, na Glória (Foto: Reprodução TV Globo)

O bairro da Glória, na Zona Sul do Rio, em especial a região da Praça Paris, vem sofrendo com o descaso e abandono das autoridades. Além dos constantes furtos de cabos de telefonia, bueiros e afins, os vândalos que atuam nesse trecho depredam e picham o patrimônio público, como o que ocorreu com a estátua de Pedro Alvares Cabral e o Chafariz do local, de 1722.

Agora os criminosos resolveram levar até as estruturas de metal que sustentam os bancos da praça. O furto das peças pode provocar acidentes nos residentes ou visitantes do bairro, que ao se sentarem, podem acabar desmoronando junto com os assentos.

Vendo o espaço ser “depenado”, os moradores do entorno cobram explicações do poder público, e afirmam que os bandidos se aproveitam da falta de grades que cercam o local (quem também são frequentemente roubadas) para acessar a Praça e praticar os delitos sem serem incomodados. O furto e a receptação de peças de metal na região Central virou regra. Os ferros-velhos funcionam ilegalmente por toda a cidade, receptando o que é furtado, e há bairros em que existe até ferros velhos itinerantes.

Em nota, a Polícia Militar disse que “esses furtos de equipamentos urbanos são considerados delitos de oportunidade, cometidos muitas vezes por indivíduos em situação de vulnerabilidade social. O combate a esses crimes demanda investigação para que os envolvidos sejam identificados“.

A Polícia Militar ainda pede para que a população ajude com informações registrando os furtos nas delegacias. Ou nos casos de urgência, na central 190.

2 COMENTÁRIOS

  1. A Polícia Militar diz:
    São crimes de ocasião, cometidos por indivíduos em situação de vulnerabilidade social, demandando investigação.

    Interessante a PM (aparentemente) demonstrar consciência de que sejam crimes de autoria por pessoas socialmente vulneráveis.

    Mas logo se nota que fica por aí, para em seguida afirmar:

    “O combate a esses crimes demanda investigação para que os envolvidos sejam identificados”

    E manda a consciência para o espaço. Porque seria mais correto retirar as pessoas daquela condição de vulnerabilidade para colocá-las em situação de dignidade.
    Mas isso nenhuma autoridade política, governo quer.
    Tem moradia, emprego, saúde, educação para todos e todas e todes (???)
    Os milhões de desempregados, vivendo em habitação sem nenhuma condição de saneamento, digna, como ficam? Tem ainda problemas que levam às drogas, famílias desestruturadas…
    Em épocas de crise econômica a situação piora.
    Todo país desenvolvido tem a área social dos governos atuando com projetos para resgatar e devolver a dignidade a Taís indivíduos/famílias – aqui é raridade.

  2. Alguém viu a Guarda Municipal?

    Não?

    Devia estar cumprindo a Constituição.

    Segundo o Artigo 144 da Constituição Federal, as guardas municipais se destinam à proteção: dos bens dos municípios, dos serviços dos municípios; e das instalações dos municípios.

    Mas a GM do Rio (e todos os outros municípios que possuem) foram desvirtuadas das finalidades originais… agora ficam em grupos perseguindo ambulantes, sem efetivamente impor ordem urbana com bom senso, além de fiscais da moralidade, dando dura em usuários de drogas, casais mais animados etc.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui