Este vídeo que o prefeito Cesar Maia colocou hoje em seu ex-blog mostrando a construção da Linha Amarela faz a gente tentar se lembrar como era antes dela, especialmente os cariocas que tem de utilizá-la. Eu não consigo me lembrar como era a Abelardo Bueno sem a duplicação, e olha que isso tem uns 2 anos apenas, quiçá a Linha Amarela.

Não me lembro de como era sair de Jacarepaguá para o Tom Jobim, simplesmente não sei como se faz para chegar se não tiver de usar a Linha Amarela. E como ficariam shoppings como Nova América, Norte Shopping ou o Barra Shopping? E a expansão imobiliária da área do autódromo ou mesmo do Recreio? Não creio que existiria, nem os novos empreendimentos ali na Avenida Suburbana.

Veja o que Maia fala sobre estes 12 anos de Linha Amarela (no final do vídeo também há um trecho dele comentando sobre a via):

Um vídeo de 1995, sobre a situação das obras. Para quem não se lembra dos investimentos em recursos, em engenharia e em talento. Muitos diziam que era loucura, que era muito cara. A prefeitura do Rio, nesta obra, introduziu no Brasil, pela primeira vez, uma licitação sob regime de licitação. As concessões anteriores foram de rodovias prontas e há muitos anos. E mais: a concessão incluía um aporte de capital da prefeitura relativo a um terço do valor da obra, considerado pelos ortodoxos um absurdo, uma doação. O uso de custo potencial do perito nas desapropriações -800 apartamentos e casas- e 3.500 casinhas em favelas- foi considerado outro absurdo, caro, e coisas mais. Como seria hoje o Rio sem a Linha Amarela? Pararia! Em 10 anos se comentará da mesma maneira as obras que estão sendo feitas nestes últimos oito anos.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui