Venda de imóveis residenciais no Rio de Janeiro teve crescimento de 38% em 2021

Foram 44,3 mil unidades vendidas, somando aproximadamente R$ 32,5 bilhões; Copacabana é o bairro campeão de vendas e Urca, Leme e Santa Teresa surpreendem

Imagem aérea da orla da Barra da Tijuca - Foto: Reprodução/Internet

De acordo com o estudo feito pela HomeHub, plataforma carioca de tecnologia imobiliária, em 2021, a venda de imóveis residenciais na cidade do Rio de Janeiro apresentou um crescimento de 38%, em comparação com 2020, com 44,3 mil unidades vendidas, somando aproximadamente R$ 32,5 bilhões em negócios imobiliários realizados.

No 4º trimestre de 2021, o crescimento nas vendas de imóveis na Zona Sul foi de 14%, em comparação ao mesmo período de 2020, totalizando 2.636 unidades vendidas, com um valor geral de vendas estimado de R$ 3,4 bilhões. No entanto, na Barra e no Recreio houve uma queda de 12%, com um total de 1.810 unidades, registrando aproximadamente R$ 2,1 bilhões.

Segundo especialistas do mercado consultado pelo DIÁRIO, a HomeHub faz e compila estes cálculos com base nos dados públicos divulgados pela Prefeitura do Rio, dados estes obtidos com base na arrecadação do imposto de transmissão de bens imóveis (ITBI), que é um imposto pago ao município por qualquer pessoa ao adquirir um imóvel no mercado formal. Não há como haver falhas ou maquiagem dos números, pois decorrem de informação oficial.

Apesar da relevante queda registrada na Barra e no Recreio no último trimestre, o desempenho do mercado em 2021 foi motivo de comemoração no setor, segundo a visão de Fred Judice Araujo, co-fundador e head de Produto, Marketing e Dados da HomeHub.

O ano de 2021 ficará marcado como um ano de quebra de recordes no mercado imobiliário carioca e mostra como este mercado é resiliente. Todos os bairros analisados no estudo apresentaram crescimento de pelo menos dois dígitos, atingindo o melhor resultado dos últimos 5 anos em toda a cidade do Rio de Janeiro”, afirmou.

De acordo com a última pesquisa da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (ABECIP), o crédito imobiliário no país alcançou a marca de R$ 189,4 bilhões financiados ao considerarmos os últimos 12 meses até novembro do ano passado.

Venda de imóveis por bairro; Copacabana é o bairro que mais vendeu na Zona Sul, e Urca, Leme e Santa Teresa estão dentre os que mais tiveram crescimento de vendas em 2021

Ao analisar a participação dos principais bairros da Zona Sul do Rio de Janeiro referente às vendas acumuladas em 2021, o crescimento registrado foi de 53% em relação ao mesmo período de 2020, somando 9.696 unidades. Se comparado com os últimos 5 anos, é o melhor resultado obtido, segundo a pesquisa. Alguns bairros tiveram grande destaque na proporção de imóveis vendidos na cidade, e outros tiveram um grande crescimento nas vendas realizadas.

Na região, os bairros com maior participação no total de transações foram Copacabana com 25,4%, seguido por Botafogo 13,1%, Flamengo com 12,9%, Leblon 9,1%, Ipanema 8,8% e Laranjeiras 7,1%. Todos os demais bairros analisados, juntos, somaram 23,7%.

Em 2021, todos os bairros analisados no estudo tiveram crescimento expressivo nas vendas, em relação ao mesmo período do ano anterior, sendo: Urca +162%, Flamengo +134, Leme +114%, Gávea +102%, Glória +84%, Santa Teresa +82%, Catete +80%, São Conrado +70%, Lagoa +58%, Jd. Botânico +52%, Botafogo +50%, Laranjeiras +46%, Humaitá +44%, Barra +40%, Jd. Guanabara +38%, Copacabana e Ipanema +37%, Recreio +31% e Leblon +21%.

Temos sentido uma grande demanda de compradores para Copacabana e Santa Teresa. Nossas filiais em outros bairros têm atendido nesta demanda, mas decidimos, agora, com o arrefecimento da pandemia, inaugurar nossas filiais nestes dois bairros, cujas obras já estão em andamento. O corretor presente no próprio bairro tem mais condições de atender bem o cliente, que não se sente confortável em fazer toda a jornada de compra on-line“, disse Lucy Dobbin, superintendente de vendas da Sergio Castro Imóveis, com 6 lojas já em funcionamento na cidade. Além das duas novas filiais da Rua Constante Ramos (Copacabana) e do Largo do Guimarães (Santa Teresa), a empresa adquiriu uma loja própria na Rua Jardim Botânico, e planeja abrir uma de suas agências no local, buscando mais capilaridade. “O melhor atendimento é o atendimento por um especialista do próprio bairro. Ele sabe as dores e as vantagens de cada cantinho de uma dada região. Conhece de cor os prédios, fachadas de casas e até os porteiros. É este atendimento personalizado que o corretor tem que saber dar“, finaliza Dobbin.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui