Rua Gonçalves Dias, na região central do Rio de Janeiro - Foto Cleomir Tavares/Diário do Rio

O comércio lojista do Rio de Janeiro registrou crescimento de 2,5% nas vendas em julho, em comparação com o mesmo mês de 2020, de acordo com a pesquisa Termômetro de Vendas divulgada mensalmente pelo CDLRio e pelo SindilojasRio, que abrange cerca de 500 estabelecimentos comerciais da Cidade. É o segundo mês consecutivo de resultado positivo (em junho cresceu 0,5%).

A pesquisa mostra que os indicadores do mês de julho foram puxados principalmente pelo crescimento das vendas do Ramo Mole (Confecções e Calçados) e pelo Ramo Duro (Eletrodomésticos e Móveis). A modalidade de pagamento mais utilizada pelos clientes foi a venda a prazo com mais 5,8%, seguida da venda à vista com 3,0%.

Segundo Aldo Gonçalves, presidente do CDLRio e do SindilojasRio, que juntos representam mais de 30 mil estabelecimentos comerciais, julho registrou o segundo resultado positivo do ano. “Este desempenho, mais uma vez, foi motivado pela diminuição das restrições impostas ao comércio pela pandemia e também pelo aumento do número das pessoas vacinadas que vem encorajando os consumidores a sair para as compras. Além disso as vendas também foram aquecidas pela ação pró-ativa dos lojistas, estimulando os consumidores com liquidações, promoções, planos de pagamento diversificados e crediário mais fácil”, explica Aldo.

Em relação às vendas conforme a localização dos estabelecimentos comerciais, no Ramo Mole (bens não duráveis) as lojas da Zona Sul venderam mais 5,7%, as do Centro mais 4,5% e as da Zona Note mais 3,7%. No Ramo Duro (bens duráveis) as lojas da Zona Norte faturaram mais 5,5%, as do Centro mais 4,5% e as da Zona Sul mais 2,9%.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui