As vendas do comércio lojista do Rio de Janeiro registraram queda de 5,3% em julho, em comparação com o mesmo mês de 2017, de acordo com a pesquisa Termômetro de Vendas divulgada mensalmente pelo Centro de Estudos do Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro – CDLRio, que abrange cerca de 500 estabelecimentos comerciais da Cidade. É o sétimo mês consecutivo de resultado negativo ((janeiro -3,7%, fevereiro -4,4%, março 3,6%, abril -3,5%, maio -3,2% e junho -4,3%). No acumulado dos sete meses do ano (janeiro/julho) ante o mesmo período do ano passado a queda foi de 4,7%.

A pesquisa mostra também que que todos os setores do Ramo Mole (bens não duráveis) e do Ramo Duro (bens duráveis) apresentaram resultados negativos. Os que registraram as maiores quedas no faturamento no Ramo Mole foram Tecidos (-9,3%), Calçados (-6,4%) e Confecções (- 4%%) e no Ramo Duro (bens duráveis) Óticas (-10,1%), Móveis (7,8%), Jóias (-6,7%) e Eletrodomésticos (-5,5%). A venda a prazo foi a forma de pagamento preferida pelos consumidores.

Segundo Aldo Gonçalves, presidente do CDLRio, nem mesmo as inúmeras ações dos lojistas para estimular as vendas como liquidações, promoções, planos de pagamento diversificados e crediário mais fácil animou o consumidor.“Este fraco desempenho também mostra que o quadro atual da economia no Estado do Rio de Janeiro, com o desemprego em alta, a violência e o desenfreado crescimento da camelotagem continua influenciando bastante no resultado das vendas”, conclui..

Inadimplência

A Inadimplência no comércio lojista da Cidade do Rio de Janeiro aumentou 1,3% em julho em relação ao mesmo mês do ano passado. É o maior índice do ano, de acordo com os registros do Serviço Central de Proteção ao Crédito do CDLRio – Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro.

As Consultas, índice que mostra o movimento do comércio, cairam 6,9% e as Dívidas Quitadas (que mostra o número de consumidores que colocaram suas dívidas em dia) aumentaram 1,8%. Ao comparar o mês de julho com o mês anterior (junho), os registros do Serviço Central de Proteção ao Crédito mostram que as Consultas e a Inadimplência diminuíram, respectivamente, 1% e 0,9% e as Dívidas Quitadas cresceram 2,2%. No acumulado dos sete primeiros meses do ano (janeiro/julho) em relação ao mesmo período de 2017, as Consultas recuaram 6,1% e a Inadimplência e as Dívidas Quitadas cresceram, respectivamente, 1% e 0,9%.

Cheque

Segundo o LIG Cheque, registro de cadastro da entidade, em julho em relação ao mesmo mês de 2017, as Consultas e as Dívidas Quitadas caíram, respectivamente, 9,9% e 1,8% e a Inadimplência cresceu 1,5%. Comparando-se julho com o mês anterior (junho), as Consultas e as Dívidas Quitadas diminuíram, respectivamente, 2,2% e 2,8% e a Inadimplência cresceu 0,6%. No acumulado dos primeiros sete meses desse ano (janeiro/julho) em relação ao ano passado, a Inadimplência aumentou 1,2% e as Consultas e as Dívidas Quitadas recuaram, respectivamente, 7,9% e 2,8%.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui