Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil

A previsão para o verão carioca 2021 é de menos chuva que 2020, com pancadas de chuva regulares dentro da média. Haverá a influência do fenômeno La Niña moderado a forte influenciando o clima durante toda a estação, mas com um lento enfraquecimento até o fim de março. As previsões mais recentes dos principais institutos internacionais de monitoramento do clima global apontam que o fenômeno só irá se neutralizar entre abril e maio.

O mês de janeiro não deve ser tão chuvoso no estado do Rio. A previsão do Climatempo é de que todo estado do Rio de Janeiro tenha pancadas de chuva regulares. O total de chuva acumulada no mês deve ficar próximo da média climatológica na maioria das áreas do estado, incluindo Grande Rio. Todo estado do Rio poderá contar com várias horas com sol forte e temperaturas elevadas, mas sem grandes extremos.

Já em fevereiro, a previsão é de que o volume de chuva no estado do Rio de Janeiro fique acima do normal em todas as áreas. O mês terá várias áreas de instabilidade associadas com frentes frias, mantendo a chuva frequente e bastante nebulosidade.

Pelos cálculos do Instituto Nacional de Meteorologia, a média de chuva para fevereiro na Região dos Lagos, no litoral Norte, em todo o Norte e Noroeste Fluminense varia de 125 a 150 mm. Na região Serrana e no Grande Rio, a média de chuva fica entre 150 e 175 mm. Já no médio Paraíba e no litoral Sul Fluminense, a média de chuva para fevereiro é mais alta, variando de 200 a 250 mm.

E para março, a previsão é que a chuva fique um pouco abaixo do normal. Pelos cálculos do Instituto Nacional de Meteorologia, a média de chuva em março de 2021 para o Grande Rio , região Serrana e todo centro-sul Fluminense varia de 175 a 200mm. Já para a região dos Lagos, Litoral Norte e o Norte/Noroeste Fluminense, a média de chuva normal fica entre 150 e 175mm.

Fenômenos típicos do verão

O fenômeno La Niña, que se caracteriza pela temperatura abaixo do normal na porção central do oceano Pacífico Equatorial, facilita a organização de convergências de umidade sobre a Região Sudeste, gerando áreas de chuva persistentes.

Já a Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS) é um fenômeno típico do verão que influencia o estado do Rio de Janeiro, mas as condições oceânicas durante o verão 2021 não serão favoráveis para este sistema. Frente frias passam pela costa fluminense também durante o verão e ajudam a formar áreas de instabilidade sobre o interior do continente que provocam chuva generalizada.

O ar quente e úmido, típico do verão, estimula o crescimento das grandes nuvens cumulonimbus que com frequência provocam temporais, com chuva forte em pouco tempo, raios e fortes rajadas de vento.

3 COMENTÁRIOS

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui