(Foto: Reprodução Redes Sociais)

O vereador Nikolas Ferreira (PRTB-MG), apoiador declarado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), foi impedido de visitar o Cristo Redentor após não sem apresentar o comprovante de vacinação para a Covid-19.

Em vídeo publicado nas redes sociais, Nikolas registrou o momento em que foi barrado na entrada do monumento.

Tá de sacanagem. Tá falando sério? A pessoa que não tem, já era, acabou, não pode entrar?“, questionou.

A funcionária do ponto turístico, vendo que o político de 25 anos insistia em desrespeitar a medida, rebateu com um contundente “Volta para casa”,

Indignado, Nikolas esbravejou: “E todo mundo aceita isso de boa?”, questionou novamente o vereador.

É o decreto do estado”, finalizou a funcionária.

Veja o momento em que o parlamentar de Belo Horizonte é proibido de acessar o Cristo, em um dos muitos vídeos compartilhados nas redes sociais:

Nikolas também publicou vídeos nos quais mostra um cartaz com o comunicado sobre a exigência de comprovante de vacinação. Ele relata que chegou a conversar com uma mulher para saber se poderia apresentar um teste PCR negativo para entrar no monumento, mas soube que apenas a imunização com vacina liberaria o ingresso.

“Ou seja, eu comprovo que não estou com o vírus mas eu não posso entrar. Aí você acha que isso aqui diz respeito à proteção? Não, isso aqui diz respeito a controle”.

O vereador também comparou o passaporte da vacina e o trabalho dos funcionários do monumento à medidas nazistas.

O secretário de Saúde do Rio, Daniel Soranz, comentou os vídeos de Nikolas. No Twitter, ele afirmou que o político mineiro “pode se vacinar em qualquer uma das 280 unidades de saúde hoje até as 17h, é só chegar, e para primeira dose não precisa morar no Rio”.

O próprio prefeito Eduardo Paes ironizou o vereador em suas redes sociais:

“Vacina, aí vem conhecer o Cristo”, disse Paes

O decreto da Prefeitura do Rio, que ficou conhecido como “Passaporte da Vacina”, foi publicado no final de agosto. A determinação obriga a cobrança de um comprovante de vacinação em vários locais como pontos turísticos, museus, piscinas, academias, dentre outros espaços de uso comum.

6 COMENTÁRIOS

  1. Não faz sentido nenhum esta lei. É arbitrária e abre um precedente horrível de cidadania de segunda classe. Hoje pedem vacina, amanhã inventam outra coisa – pedirão o que?

    Sobre o caso concreto, não faz sentido exigir no Cristo Redentor, um local ABERTO. Fala sério! Não se consegue justificar nem pelas bases das justificativas da própria lei na exposição de motivos. Impediram o rapaz só por impedir mesmo.

  2. A vacina não imuniza e não impede a transmissão do vírus.
    EP sempre se mostrou autoritário. Ele mesmo diz que se vacinou mas já teve covid por duas ou três vezes depois de vacinado. Diversos médicos infectologistas mundiais têm alertado para o perigo destas vacinas experimentais, especialmente em pessoas jovens de idade.
    EP é um inconsequente e irresponsável, além de ser o NERVOSINHO na planilha da Odebrecht.

  3. Não garante, mas atenua. Grande babaca é quem não toma e pensa que, por ser político, tudo pode. Se prefeito e governador não tiverem autoridade para defender a população , quem terá ?

    • Maria, infelizmente hoje justamente porque os políticos querem dar uma satisfação de que estão fazendo alguma coisa… estão agindo muito além de suas sandálias. O precedente do passaporte é muito sério.

  4. Exigir comprovante de vacinação é o cúmulo do autoritarismo. Eduardo Paes está se revelando ser um grande babaca. Assim acaba sua carreira. Vacina não garante nada. Ontem mesmo li a matéria do Dr. Zeballos, que neste mês de setembro, atendeu 161 pessoas com Covid, das quais 125 vacinados.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui