Vereador quer criar sistema móvel de coleta de sangue

Apesar da doação de sangue ser simples, rápida e segura, os bancos e hemocentros ainda contam com poucos colaboradores. A dificuldade de deslocar-se até o local de coleta acaba sendo um dos fatores responsáveis pelo déficit nos bancos de sangue, que em períodos de feriados e datas festivas fica ainda pior.

<

No intuito de facilitar e aumentar o número de doações, reduzindo, a Câmara do Rio aprovou a Lei nº 6.556/2019, de autoria do vereador Rafael Aloisio Freitas (MDB). A legislação determina que seja criado o Sistema Móvel de Coleta de Sangue como parte da estrutura da Secretaria Municipal de Saúde. As ações móveis devem ocorrer em veículos transfigurados para este devido fim.

O objetivo é promover ações de incentivo e de educação sobre a doação de sangue, cooperando com ações que fomentem o aumento dos estoques dos bancos e hemocentros existentes no município. O sistema móvel deve também realizar os mesmos exames ofertados pelo Hemorio. A legislação permite ainda que sejam firmados convênios e parcerias com instituições públicas e privadas.

Segundo o Ministério da Saúde, apenas 1, 8% da população brasileira entre 16 e 69 anos doam sangue. Se confrontados com o que a Organização das Nações Unidas defende, o país está a 1, 2% do que é considerado ideal. O vereador Rafael Aloisio Freitas acredita que a medida, aliada ao trabalho de coleta móvel que já é realizada pelo Hemorio, pode contribuir para o aumento de doadores. “Muitos que têm o interesse de ir até o Hemorio fazer sua doação não consegue por causa da dificuldade de locomoção. É muito importante que a Secretaria de Saúde faça com que o serviço chegue à grande parte da população. Com isso, conseguimos que os bancos de sangue salvem, cada vez mais, vidas“, afirma o parlamentar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here