Os dias de quem trabalha com couro no Rio de Janeiro pode estar com seus dias contados, é que o vereador Dr. João Ricardo (MDB) apresentou o Projeto de Lei 1619/2019, que proíbe a produção e comercialização de artigos de vestuário, ainda que importados, confeccionados com couro animal.

O projeto, entretanto, especifica que só se proíbe aqueles de animais criados exclusivamente para extração e utilização de pele. O que deixa aberto a várias interpretações, afinal, vai pedir origem controlada do couro de boi? E o de jacaré, saberá se a carne foi consumida? O fato de usar a carne para consumo, seria colocar os bovinos e suínos em um patamar abaixo de uma raposa?

O projeto também pretende proibir a venda de foie gras, o patê de fígado de ganso. Já que veda a produção e comercialização de alimentos obtidos por meio do método da alimentação forçada. Lei similar em São Paulo foi considera inconstitucional.

Mas caso passe, a lei pode proibir a venda de carne de frango, já que há granjas que usam do bárbaro método.

4 COMENTÁRIOS

  1. Meus parabéns Dr João Ricardo vereador MDB. Está na hora de sair da idade média e evoluir. O couro, além das toxinas que fazem muito mal à saúde humana, cheira mal porque é pele de animal morto, e é feio, só gente de mal gosto usa isso.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui