Vereadora Benny Briolly vai processar o deputado estadual Rodrigo Amorim por ‘racismo e transfobia’

Em uma sessão da Alerj, o deputado usou palavras para insultar a vereadora de Niterói, a chamando de “aberração da natureza” e “belzebu”

FOTO: JEFFERSON RIOS

A vereadora Benny Briolly (Psol) vai processar o deputado estadual Rodrigo Amorim (PTB) por “transfobia e racismo”. Na última terça-feira, (17/05), Rodrigo Amorim usou a sessão na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) para chamar Benny de “aberração da natureza”.

“Um vereador homem, pois nasceu com pênis e testículos, portanto é homem. Agora temos uma aberração do alfabeto inteiro designando o que eles chamam de gênero aleatórios. Eu sou do tempo em que existiam homens, mulheres, bichas e sapatões. Esses soldados do mal fedendo a enxofre, o vereador homem de Niterói parece um Belzebu, porque é uma aberração da natureza”, disse o deputado durante a sessão.

Briolly é a primeira parlamentar trans eleita em Niterói, cidade da Região Metropolitana do Rio.

A vereadora Benny Briolly também vai registrar um boletim de ocorrência nesta sexta-feira, (20/05), na Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) contra o deputado estadual Rodrigo Amorim (PTB) por “transfobia e racismo”, que teriam ocorrido durante a fala acima reproduzida.  

Benny afirmou que medidas serão tomadas e que o deputado “é um criminoso que incita a violência e é o mesmo criminoso que quebrou a placa de Marielle Franco, uma mulher que foi executada. Ele está incitando ódio pelo extermínio de mulheres negras e alguma ação tem que ser tomada”.

Em entrevista concedida a revista Marie Claire, a vereadora mais votada de Niterói falou sobre o caso. “O sentimento é que nós temos no parlamento mais um criminoso, que além do crime de transfobia e racismo está ocupando um espaço de poder para incitar a violência e o extermínio de nossos corpos. Amorim é mais um deputado que corrobora com a execução dos corpos de pessoas trans. Para mim é um criminoso que deveria estar pagando por seus atos se a justiça de fato valesse para todos”.

Em nota enviada à revista, o deputado Rodrigo Amorim negou que tenha sido transfóbico e afirmou que apenas criticou “as aberrações que a esquerda faz com a língua portuguesa” e a “mania de criar gêneros”. Apesar de negar que seja transfóbico, o deputado se referiu a Brenny Briolly no masculino; segundo alguns, isso seria uma forma de “transfobia”.


Confira a íntegra da nota:

“Não cometi transfobia de forma alguma, apenas critiquei as aberrações que o politicamente correto e a esquerda fazem com a língua portuguesa. E critiquei também a mania de criar gêneros – biologicamente só existem dois sexos. A mesma ciência que defende as vacinas também deixa isso bem claro.

Não há necessidade de se criar cada vez mais termos para aumentar a sigla LGBT, e esses grupos identitários só fazem isso para confundir e promover mais perseguição ideológica a quem discorda deles. Comigo não há como isso acontecer. Vivemos em um país livre, e se os grupos identitários precisam da censura e da opressão para defenderem suas causas, é mais um sinal de que eles estão equivocados.

O Sr. Benio tem um projeto no qual autoriza crianças a mudarem de sexo sem autorização dos pais e incrivelmente não causa a mesma indignação”.


De acordo com a assessoria da vereadora Benny Briolly, o Psol e os deputados estaduais do PSB, Carlos Minc e Waldeck Carneiro protocolaram uma denúncia no Conselho da Alerj contra o deputado bolsonarista. Na denúncia, foram citadas ofensas transfóbicas, gordofóbicas e injúria, cometidos na mesma sessão.

Advertisement

4 COMENTÁRIOS

  1. Ahhhhh, vai pra puta que a pariu. Sou negra, bem crioula mesmo, nariz largo e cabelo beeeem grosso e nunca me senti diminuída tampouco subestimada. Essa dona aí tem complexo de inferioridade.

  2. Pessoas que dependem do vitimismo para ter audiência. Lamentável que a cidade de Niterói eleja uma pessoa tão despreparada, sem nada a acrescentar.

  3. Aberração é esse deputado dizer algo nojento e asqueroso assim e não ser preso em flagrante.
    Burro e inculto, não sabe nem do que está falando.
    Se não for preso, já sabemos que a lei que protege contra lgbtfobia não existe e nunca pegou.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui