Bairro da Penha com a famosa Rua dos Romeiros e o Parque Shanghai | Foto: Rafa Pereira - Diário do Rio

O Viradão Cultural Suburbano volta a ocupar ruas e praças, entre os dias 26 e 28 de novembro, em sua terceira edição. No ano passado, por conta da pandemia, o evento foi completamente on-line, mas agora será em formato híbrido.

Um dos destaques da programação é a apresentação, no domingo, às 11h, da Orquestra Maré do Amanhã, que irá levar seus instrumentos para a Arena Dicró, na Penha. O repertório dos jovens é diversificado e vai desde músicas clássicas aos sucessos nacionais e internacionais, do rock ao funk.

Também no domingo, jovens do Passinho Carioca vão se apresentar na Arena Dicró, às 13h, logo depois da exibição do documentário ‘Corpo que fala’, que aborda o tema “corpos possíveis no universo da dança” a partir de depoimentos de artistas de passinho que moram em favelas e periferias do Rio.

O agito na Arena começará no dia 26, às 15h, quando o espaço recebe o espetáculo infantil ‘Ceci e os Encantadores’. A peça conta a história de Ceci, uma garotinha suburbana e Lima Barreto, a quem na sua imaginação infantil, ela chama de Barretinho. A história permite apresentar às crianças a narrativa suburbana de Lima Barreto, homenageado no evento.

Apesar de nascido em Laranjeiras, Zona Sul do Rio, no dia 13 de maio de 1881, o bairro suburbano de Todos os Santos foi o lugar de fala de Barreto. Lá ele escreveu suas principais obras, nas quais as culturas dos subúrbios surgem como protagonistas, construindo discursos contra-hegemônicos, os quais visam a romper, assim como defende o Viradão, com narrativas que associam os subúrbios quase que única e exclusivamente a lugares marcados pela carência e violência.

Já no dia 27, sábado, a partir de 10 horas acontece o espetáculo: Sementinhas Espaciais. A obra é uma intervenção musical que propõe uma aventura de dois alienígenas pela Terra em busca de sementes de água viva, as únicas capazes de trazer a cura para o seu planeta, devastado por um vírus ainda desconhecido.

A coordenadora da Arena Carioca Dicró, Gisele Jacob, destaca a importância de fazer parte da programação do Viradão Suburbano, neste momento de retomada de apresentações presenciais:

“Com todos os desafios para retomar os projetos e realizar atividades culturais neste momento, é uma grande satisfação fazer parte da edição de 2021 do Viradão, que contará com diversas apresentações artísticas, evidenciando a qualidade e diversidade dos artistas locais envolvidos, como festival Leopoldina Hip Hop e Orquestra Maré do Amanhã.” – comemora Gisele.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui