Governador Cláudio Castro durante sessão na Alerj - Foto: Philippe Lima/Divulgação/Governo do Estado

Nesta terça-feira (23/03), será votado pela Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) um projeto de lei que antecipa os 3 feriados de abril para os dias 26/03, 31/03 e 01/04. A medida tem como objetivo ajudar a conter a proliferação do Coronavírus, reduzindo a circulação de pessoas nas ruas.

Caso a proposta seja aprovada, o RJ teria um ”superferiadão” em todo o estado, começando na próxima sexta-feira (26/03) e terminando apenas no Domingo de Páscoa (04/04).

Impasse entre Governo do Estado e Prefeitura do Rio

Embora sempre tenham demonstrado relação cordial, o governador em exercício Cláudio Castro e o prefeito do Rio, Eduardo Paes, divergem atualmente em relação às medidas restritivas.

Isso porque, enquanto Castro é favorável a restrições mais maleáveis, permitindo a abertura de bares e restaurantes, por exemplo, Paes prefere medidas mais rígidas, com o funcionamento apenas de estabelecimentos considerados essenciais, como supermercados, farmácias, entre outros. A Prefeitura, inclusive, já as anunciou.

Essa divergência de ideias, inclusive, fez o prefeito criticar a postura do governador em relação ao assunto, dizendo que, em meio à postura ”branda” de Cláudio, com o feriadão o RJ teria uma espécie de ”micareta”, denominada por Paes de ”CastroFolia”. O chefe do Poder Executivo Estadual, por sua vez, rebateu a declaração e afirmou que as pessoas irão respeitar as restrições.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui