Wilson Witzel amanhece com Polícia Federal em sua porta

Polícia Federal no Palácio Laranjeiras na última semana

Uma manhã movimentada no Palácio Laranjeiras e outros endereços ligados ao governador Wilson Witzel (PSC). Desde o início desta terça-feira, 26/5, a Polícia Federal faz a Operação Placebo, sobre suspeitas de desvios nos hospitais de campanha e compras para a pandemia do novo Coronoavírus no Rio de Janeiro. Foram emitidos 12 mandados de busca e apreensão, incluindo a residência oficial do governador do Rio de Janeiro.

Até o momento não há mais informações sobre a ação, além de que foi emitida pelo STJ, que é órgão competente em ações contra governadores de estado. A ação é comandada pela Superintendência da Polícia Federal do Distrito Federal.

Dentre os outros endereços em que os agentes estão no Rio, está Leblon e Botafogo, também na Zona Sul, e Grajaú, na Zona Norte, onde o governador morava antes de se ser eleito.

Advertisement

10 COMENTÁRIOS

  1. […] Dois deputados estaduais do Rio que integram posições diferentes no espectro político – mas convergem na oposição ao governador Wilson Witzel – protocolaram na manhã desta quarta-feira (27/05) pedidos de impeachment contra o chefe do estado. Os documentos tem como base as denúncias de corrupção na Saúde em meio à pandemia de Coronavírus, que resultaram na Operação Placebo da Polícia Federal contra o governador nesta terça-feira (26/015). […]

  2. A Polícia Federal está sendo usada como Polícia Política, como se apresenta os garotos indícios:
    – Deputada de SP – mas que só atua no Planalto – revelando que sabe de operações por vazamento
    – Operação no mesmo dia do depoimento de suplente de Senador, filho do Presidente, revelando que a Polícia lhe vazou informações sobre operação.
    – o Presidente, que antes acusava a Polícia e o MP do RJ de supostamente pretenderem plantar prova contra ele e filhos seus, hoje, enquanto ocorria a operação no Palácio das Laranjeiras, “parabenizou (?) a PF pela operação contra o Governador”.

    Ora, ora. O que garante que não sejam forjados elementos de prova, pois a Polícia Federal, além do Palácio de Laranjeiras, esteve em outros endereços sem acompanhamento sequer do Ministério Público ou de advogados do Governador.

  3. Estão dizendo que
    “A POLÍCIA FEDERAL morreu de COVID-19 depois que deram CLOROQUINA”

    Isso é verdade?

    A Polícia Federal está sendo usada como Polícia Política, como se apresenta os garotos indícios:
    – Deputada de SP – mas que só atua no Planalto – revelando que sabe de operações por vazamento
    – Operação no mesmo dia do depoimento de Paulo Marinho, suplente de Flavio Bolsonaro, filho do Presidente, revelando que a Polícia lhe vazou informações sobre operação.
    – Bolsonaro, que antes acusava a Polícia e o MP do RJ de supostamente pretenderem plantar prova contra ele e filhos seus, hoje, enquanto ocorria a operação no Palácio das Laranjeiras, “parabenizou (?) a PF pela operação contra Witzel”.
    Ora, ora. O que garante que não sejam forjados elementos de prova, pois a Polícia Federal esteve nos endereços sem acompanhamento sequer do Ministério Público ou de advogados do GovRJ.

  4. Votei nesse cara e me arrependo amargamente, sujeito falso dissimulado, traíra. Um tremendo idiota,panaca. CARA RIDÍCULO. ABESTADO……

  5. Espero que chegue também na Paraíba, pois o Governador João Azevêdo é um ladrão, superfaturando respiradores, máscaras e outros equipamentos médicos, em um total desrespeito á coisa pública!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui