Mal começou o 2º turno das eleições para governador do Rio de Janeiro em 2018 e a troca de farpas entre os candidatos já começou. Tudo se iniciou quando Wilson Witzel (PSC), em um vídeo distribuído por whatsapp, disse que daria voz de prisão a Eduardo Paes (DEM) durante o debate, se este falasse alguma injúria contra ele.

O crime de injúria é de pequeno potencial ofensivo. Está sujeito sim a voz de prisão. O que eu tenho dito é que a política tem sido feita de uma forma irresponsável. Essas fake news… Elas só podem sair de um lado, que é o candidato opositor. Esse tipo de coisa, não vou admitir. Se for praticado crime de injúria durante programa de televisão, nós vamos parar na delegacia”, disse ele.



Claro que o ex-prefeito do Rio não demorou a responder, e disse que com ele não funciona carteirada e pergunta, o porquê de não ter dado a ordem de prisão a Romário (Podemos) que o chamou de frouxo, a Garotinho (PRP) que disse que Witzel teria oferecido ajudá-lo na Justiça Federal e a Indio (PSD) o chamou de mentiroso. Assista:

Ou seja, o debate vai ser um verdadeiro ringue! No mínimo será divertido…

3 COMENTÁRIOS

  1. Acho que o Romário tem razão.
    Se escolheu um cargo que oferece risco e depois muda por medo, não tem competência para governar o estado violento como o RJ.
    Ao primeiro sinal de ameaça, nos deixará entregues a sorte.
    Não, precisamos de homem de coragem e jogo de cintura e não ” frouxo”.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui