Foto Cleomir Tavares /Diario do Rio

XVIII Conferência de Segurança Internacional do Forte de Copacabana, o maior fórum sobre segurança internacional da América Latina, realiza sua segunda edição totalmente virtual, gratuita e aberta ao público nos dias 16 e 17 de setembro. Como é de praxe no evento, que há anos faz parte do calendário carioca – e pelo segundo ano se abre ao mundo através da internet por conta da pandemia do coronavírus -, especialistas europeus e latino-americanos irão trazer suas perspectivas, reforçando os diálogos entre seus países e continentes. A iniciativa é da Fundação Konrad Adenauer, do Centro Brasileiro de Relações Internacionais e da Delegação da União Europeia no Brasil

Participam do encontro especialistas da Europa e da América Latina, divididos em painéis transmitidos virtualmente e ao vivo, apenas para o público inscrito. As autoridades estarão em diversos países – Brasil, Alemanha, Uruguai, Colômbia, Argentina, México – e vão debater a partir de suas residências ou gabinetes em “mesas virtuais”. O evento terá tradução simultânea nos idiomas português, espanhol, inglês e alemão e também na Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS).

Logo em seguida, o papel das Forças Armadas na América Latina e na Europa será posto em análise. O painel “O nexo civil-militar: gestão global de risco e o papel das Forças Armadas” irá discutir processos históricos recentes, a multifacetada parceria entre militares e civis e boas práticas que possam favorecer a reputação dessas instituições.  Os conferencistas são: Thomas Silberhorn, vice-ministro no Ministério da Defesa da Alemanha; Giovanni Manione, general de divisão e vice-diretor do Estado Maior da União Europeia; Luis Mauricio Ospina Gutiérrez, general de divisão e diretor da Academia Militar da Colômbia; Danielle Jacon Ayres Pinto, vice-presidente da Associação Brasileira dos Estudos de Defesa (ABED). A moderação será feita pela professora Monica Hirst, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro e da Universidad Torcuato di Tella.

No dia 17, o painel “Superando a insegurança: multilateralismo e o papel de alianças transnacionais de segurança” irá discutir a importância da cooperação entre países, sobretudo nas políticas de Segurança, no investimento em novas tecnologias e na redução do impacto financeiro da crise econômica pós-pandemia no setor da defesa.  Os convidados são: Joanneke Balfoort, diretora de Políticas de Segurança e Defesa da União Europeia; Cristián Castaño Contreras, diretor-geral do Centro de Estudos Estratégicos e de Governo do México; e Ronaldo Carmona, professor da Escola Superior de Guerra e senior fellow do CEBRI. A moderadora é Daniela Braun, analista de política externa e segurança da Konrad Adenauer Stiftung.

O último painel, “Mudando o jogo: respostas cibernéticas a situações de crise”, reflete sobre as possíveis soluções digitais e técnicas diante de ameaças à segurança global, como pandemias, terrorismo, escassez de recursos e mudanças climáticas. Debatem o tema Michael Karnitschnig, diretor de Relações Internacionais do Secretariado Geral da Comissão Europeia; Kaan Sahin, assessor estratégico para diplomacia cibernética do Ministério das Relações Exteriores da Alemanha; Carolina Sampó, pesquisadora do Conselho Nacional de Pesquisa Científica e Técnica da Argentina; Jeimy J. Cano, professor da Escuela Superior de Guerra da Colômbia. A moderação é de André Clark, General Manager da Siemens Energy Brazil e Conselheiro do CEBRI.

As inscrições são individuais e podem ser feitas gratuitamente através do site da Fundação Konrad Adenauer, do site do CEBRI ou no link https://forms.gle/ENU3jZfEzpq3DcpL6.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui