Rio lança campanha contra o uso de cigarro eletrônico

Iniciativa da Prefeitura acontece paralelamente ao Dia Mundial sem Tabaco, celebrado nesta sexta (31/05)

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Imagem meramente ilustrativa de pessoa fazendo uso de cigarro eletrônico - Foto: Reprodução

Em meio ao Dia Mundial sem Tabaco, celebrado nesta sexta-feira (31/05), a Prefeitura do Rio de Janeiro lançou a campanha ”Cigarro Eletrônico em Lugar Nenhum, Muito Menos Dentro de Você”.

A iniciativa, que trata tanto das questões relativas à legislação quanto dos efeitos dos dispositivos eletrônicos de fumar sobre a saúde, é um dos resultados da participação do município do Rio no ”Parceria para Cidades Saudáveis” (PHC, na sigla em inglês), projeto global que engloba mais de 70 cidades atuantes pela redução de doenças crônicas não transmissíveis. O programa tem a chancela da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Em vídeos e posts divulgados nas redes sociais da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), responsável pela campanha, e em cartazes fixados em unidades de saúde e locais públicos, a iniciativa busca desmistificar a ideia de que o cigarro eletrônico faz menos mal do que os cigarros tradicionais de tabaco e de que não vicia.

Pesquisas já realizadas a nível mundial apontam que os dispositivos eletrônicos de fumar liberam substâncias tóxicas que são cancerígenas ou aumentam o risco de doenças cardíacas e pulmonares. Vale ressaltar que muitos usuários têm o primeiro contato com o dispositivo precocemente, na adolescência.

Advertisement

”Essa é uma campanha muito relevante e estamos felizes de ter o apoio da OMS nesta ação. Nosso objetivo é conscientizar as pessoas sobre os efeitos do fumo e do uso do cigarro eletrônico. A população precisa estar corretamente informada para evitar os malefícios à saúde que tanto o tabaco quanto esses dispositivos eletrônicos podem causar”, diz o secretário Daniel Soranz.

Um dos vídeos da campanha tem a participação da influencer Manuela Cit, que tem cerca de 3 milhões de seguidores nas redes sociais. A jovem, de 20 anos, faz um depoimento forte contando sua experiência com o cigarro eletrônico, que começou a usar quando tinha aproximadamente 12 anos.

O uso prolongado do dispositivo começou a afetar sua saúde, causando falta de ar, pontadas no peito, dificuldade para realizar atividades físicas e de concentração, e a afastou do seu sonho de cursar Medicina.

Atualmente, a influenciadora mudou radicalmente de postura e inspira pessoas com o seu estilo de vida saudável e ativo, além de fazer o tão sonhado curso na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). O conteúdo será publicado nas redes da influencer em colaboração com as redes da SMS no Dia Mundial sem Tabaco.

Além do material gráfico e de audiovisual divulgado, as unidades de Atenção Primária do Rio também aderem à campanha desenvolvendo ações de conscientização com os usuários.

As atividades visam alertar sobre os malefícios do fumo – incluindo os causados pelos cigarros eletrônicos – e conscientizar a população para a adoção de hábitos de vida mais saudáveis.

Entre as atividades desenvolvidas estão palestras, salas de espera, rodas de conversa, ações de saúde bucal, atividades físicas e distribuição de informativos.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Rio lança campanha contra o uso de cigarro eletrônico
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui